Início Mod. colectivas Futebol

FC Porto goleia Farense por 5-1 e adia a provavel “festa” do Sporting

3

O FC Porto venceu o Farense, por 5-1, em jogo a contar para a 32ª Jornada da Liga NOS, disputado no Estádio do Dragão, na cidade invicta.

Ao contrário do que seria de esperar, a história deste encontro começa e acaba com Licá, avançado do Farense que esteve longe de fazer uma grande exibição.

Quando toda a gente já fala no título nacional para o Sporting, os “azuis-e-brancos” entraram em campo dispostos a mostrar que ainda têm uma palavra (pequena, é certo) a dizer.

No entanto, o triunfo claro e inequívoco começou com uma grande penalidade polémica, devido a um braço de Licá dentro da grande área, quando está a disputar um lance com Otávio.

É certo que a bola bate no braço do jogador do Farense, que está esticado, mas o esférico é disputado pelos braços dos 2 jogadores e (quanto a nós) não haveria lugar à marcação da grande penalidade.

Imune à pressão, Mehdi Taremi apontou o castigo máximo e fez o primeiro golo, para natural insatisfação dos jogadores do Farense, que rodearam o árbitro com protestos bem veementes.

Talvez devido a este lance, o Farense perdeu “o Norte” e sofreu 2 golos em 14 minutos, por intermédio de Toni Martinez e Luís Diaz.

Aos 20 minutos, o FC Porto vencia por 3-0 e pouco depois passou a jogar com mais 1 elemnto que o Farense, pois Bilel entra duro sobre Manafá e, depois de consultar o VAR, decide mostrar o cartão vermelho direto, anulando o cartão amarelo que tinha mostrado minutos antes.

Em cima do intervalo, o Farense aponta um golo que daria o 3-1 aos algarvios, mas o árbitro anulou por posição irregular (fora-de-jogo); no lance corrido, não nos apercebemos imediatamente do que ocorreu, mas nas repetições (a que o VAR também tem acesso) é clara a infração.

Com uma vantagem tranquila ao fim dos 45 minutos, o FC Porto geriu o tempo e o resultado na segunda parte, com mais um golo de Taremi e outro de João Mário.

Como referimos mo início do texto, a história do jogo terminou com Licá, que marcou o tento de honra do Farense, depois de uma apatia generalizada do último reduto portista.

Com esta vitória, o FC Porto adia a celebração do título nacional pelo Sporting e coloca pressão nos “leões”, que terão de ganhar amanhã para celebrarem o seu 19º título oficial, e dizemos oficial porque o Sporting no autocarro que já está preparado para celebrar a mais que provável conquista, tem bem estampado o número 23, devido aos 4 títulos bem antigos que o Sporting afirma que ganhou, mas não sáo reconhecidos como títulos nacionais pela Federação.