Início Mod. individuais Surf

EuroJunior 2022: Portugal na Final com 4 surfistas, ou talvez 6

295
Eurojunior 2022 - Santa Cruz - Abertura

Martim Nunes, Gabriela Dinis, Matias Canhoto e Frederico Carrilho são os quatro surfistas nacionais nas finais do Eurosurf Junior 2022, enquanto Francisco Ordonhas e Jaime Veselko podem ainda juntar-se-lhes no ataque às medalhas, no último e decisivo dia da competição que decorre desde o passado fim-de-semana, na Praia do Mirante, Santa Cruz.

Mas vamos por partes: Martim Nunes conquistou ontem o acesso à final de sub-18, ao vencer de forma brilhante a final do evento principal, superando a estrela espanhola Kai Odriozola e relegando os franceses Nicolas Paulet e Samuel Redon para a final das repescagens.

Também em sub-18 masculino, Francisco Ordonhas, que ontem celebrou os seus 17 anos, conseguiu superar a concorrência nas repescagens e tentará ganhar acesso às medalhas através da final de repescagens.

Em sub-18 feminino, foi Gabriela Dinis a vencer, superando a francesa Sarah Leiceaga e arredando a inglesa Alys Barton e a holandesa Eva Hoffmann para as repescagens.

Matias Canhoto conquistou o lugar na final de sub-16, ao passar em segundo a final, apenas superado pelo francês Inigo Madina. Na mesma bateria, Jaime Veselko, em terceiro, seguiu para as repescagens onde tentará juntar-se a Canhoto na disputa pelas medalhas.

E, finalmente, Frederico Carrilho, em longboard sub-18, foi segundo, batido apenas pelo italiano Filipo Marullo, em condições muito complicadas para esta modalidade. Mas poderá ser campeão europeu.

Entretanto, no lado oposto deste espectro ficaram Francisco Mittermayer, eliminado nas repescagens de sub-18, e Erica Máximo, Maria Salgado e Matia Dias, todas eliminadas da competição nas repescagens de sub-16.

No que toca à classificação por equipas, Portugal ocupa, à partida para o derradeiro dia da competição, a terceira posição, atrás de Espanha e França. Um lugar provisório, que poderá mudar radicalmente consoante os resultados de hoje.

Os jovens finalistas, por seu turno, estão apostados em vencer as suas finais e contribuir para que Portugal se sagre campeão europeu em casa.

Estou muito contente. O meu objectivo era ir à grande final e já só estou a um passo da medalha de ouro. Foi um campeonato que não começou bem para mim, com um heat difícil em que apanhei uma maré mais complicada, mas depois disso o surf começou a fluir.

Depois, o espírito da equipa ajudou-me muito, estamos muito unidos e acreditamos no título para Portugal. Todos queremos medalhas individuais, mas primeiro está Portugal!”, afirmou Martim Nunes.

Espírito que é em tudo emulado por Gabriela Dinis.

O campeonato ainda não acabou, mas o meu objectivo é ganhar e assim ajudar Portugal. Tenho surfado muito, venho de uma viagem muito boa a Jeffreys Bay [África do Sul] e isso ajudou-me. As condições do mar aqui têm sido muito difíceis, mas sinto-me bem fisicamente e sei que se fizer o meu surf, sou capaz de ganhar.”

 

Também Matias Canhoto se mostrou muito optimista.

Sinto-me muito bem, muito confiante. O campeonato tem sido incrível! Acho quer ao ser campeão europeu vou contribuir para a minha equipa.

Sinto-me muito nervoso, mas vou usar esses nervos para surfar ainda melhor e conseguir os meus objectivos. Só tenho que me vencer a mim mesmo e o resto há de chegar naturalmente.

Finalmente, o longboarder Frederico Carrilho não fugiu ao tom colectivo, acrescentando.

Hoje o mar não estava muito bom para o longboard, não consegui fazer, nem de perto, o meu surf. Fiz, logo ao início, uma onda de seis pontos, tive sorte, mas espero que na final o mar esteja mais fácil para o longboard.

Falando pela equipa, acredito que vamos conseguir ser campeões europeus, apesar de termos perdido gente que não devíamos ter perdido. Mas sim, vamos ganhar!

Relativamente ao balanço final do dia, e enquadrando todos os resultados mais as perspetivas para o dia das decisões, o seleccionador David Raimundo resumiu.

Hoje foi o dia mais longo e desgastante do campeonato. Um dia de muitas emoções, em que na maior parte dos heats a equipa portuguesa esteve muito bem.

Infelizmente, o facto de termos perdido todas as atletas no sub-16 feminino distanciou-nos da França. O objectivo para amanhã são mais quatro medalhas de ouro e duas de prata.

Pode acompanhar o evento através do live webcast em www.eurosurfing.org ou www.oceanspirit.pt