Início Mod. individuais Automobilismo

CPV: Resumo da 2ª corrida em Vila Real; vitória de André Pimenta

149
André Pimenta e Pedro Salvador - CPV 2022 - Vila Real - 2ª Corrida

A dupla André Pimenta / Pedro Salvador, no McLaren 570S GT4 da SMC Junior Motorsport, sagrou-se vencedora, na tarde deste domingo, da segunda corrida da segunda jornada do Campeonato de Portugal de Velocidade (CPV) by Hankook, no Circuito de Vila Real, marcada por um aparatoso acidente ainda na primeira volta, que eliminou três candidatos à discussão do primeiro lugar: Francisco Mora (CUPRA), Francisco Carvalho / Miguel Cristóvão (McLaren 570S) e Jorge Rodrigues / Patrick Cunha (Audi R8 LMS).

Outro destaque foi para Miguel Oliveira, o piloto de MotoGP da KTM que alinhou com o seu pai Paulo Oliveira no Hyundai i30 N e conseguiu repetir o primeiro lugar na classe TCR já conquistado no dia anterior.

Num ápice, quando tudo deixava antever uma corrida animada e cheia de pontos de interesse, o ‘toque”’entre Mora e Carvalho numa zona de plena aceleração e quando o pelotão ainda seguia quase compacto, abriu caminho a uma vitória tranquila de Pimenta e Salvador, pois este último seguia ligeiramente adiantado no momento do acidente.

Sinto-me em casa neste circuito e sem dúvida que valeu a pena alugar o McLaren à equipa espanhola, para partilhar a sua condução com um amigo como é o André Pimenta.

Foi pena o incidente na primeira volta. Com o Mora e o Francisco Carvalho em prova seria mais complicado, mas seguimos a nossa estratégia, que era forçar ao máximo o andamento na primeira parte e depois ver o que dava. Correu tudo como planeado e ganhar aqui deixa-me bastante feliz”, declarou Pedro Salvador, que durante uma boa parte da corrida teve Daniel Teixeira como adversário mais directo.

Este último, contudo, também voltou a não ter a sorte pelo seu lado, já que o CUPRA repetiu os problemas de alimentação, falhando ao ponto de o piloto de Vila Real cair, paulatinamente, na tabela classificativa e na última volta perder o quinto lugar absoluto e segundo entre os TCR.

É frustrante estar à frente, liderar o TCR e ter hipótese de discutir a vitória absoluta e depois acontecer o mesmo que ontem. Parabéns ao Miguel Oliveira e ao pai e ainda ao António Coimbra e ao Luís Silva…”, referiu Daniel Teixeira.

Bruno Pires e Fábio Mota, no Porsche 911 Cup da Fabela Sport, não tiveram rivais, tal como sucedera na corrida de sábado, na categoria GTC, conseguindo ainda um excelente segundo lugar absoluto.

Fizemos um arranque cauteloso, para evitar qualquer acidente, e depois foi imprimir um ritmo certinho e seguro, para entregar o carro ao Bruno em excelentes condições. Ele fez uma excelente parte final”, adiantava Fábio Mota na hora de subir ao pódio.

Verdadeiramente imparável, a dupla Miguel Oliveira / Paulo Oliveira, inscrita pela Hyundai Portugal, somou este domingo a segunda vitória consecutiva na classe TCR e ainda um notável terceiro lugar final absoluto.

O meu pai esteve muito bem, é um orgulho e um espectáculo formar dupla com ele. Quanto ao resto, nem sei muito bem que dizer, depois desta segunda vitória consecutiva, mas claro que também tivemos um pouco de sorte.

Reconheço, por outro lado, que andámos bem, embora comparativamente aos profissionais eu seja um piloto lento, mas deu para me divertir e gostei bastante, do ambiente, do apoio do público, de tudo”, confessava o piloto de MotoGP, sem dúvida uma das grandes estrelas do fim de semana.

No pódio teve a companhia dos seus colegas de equipa da Sports & You, do Hyundai Elantra N TCR, António Coimbra e Luís Silva, festejando juntos efusivamente a conquista dos dois primeiros lugares.

Quando entrei no carro, para a segunda metade da corrida, estávamos num lugar estabilizado, mas depois fui alertado via rádio de que o Teixeira estava com problemas e aumentei um pouco o ritmo, conseguindo passá-lo na última volta. Acredito que no Algarve haverá maior equilíbrio e nessa pista também estaremos mais à-vontade”, disse António Coimbra.

Correr de trás para a frente e com cautelas foi o que fez a dupla Tom Roche / Marmaduke Hall, quarta classificada final, já que o Ginetta G55 GT4, acidentado nos treinos, não tinha a caixa de velocidades em perfeitas condições, enquanto Jemma Moore e Damian Hirst, também longe de disporem do seu G50 a cem por cento, também o levaram a bom porto, averbando o segundo lugar da classe TCR, na frente do Skoda Octavia da dupla estreante Nuno Breda e Nuno Teixeira.

Devido aos problemas de motor surgidos sábado no Ginetta G50, Paulo Sousa e Aubrey Hall acabariam por ficar impossibilitados de alinhar e o checo Ondrej Krupka, embora tivesse iniciado a corrida, viu-se forçado a desistir, devido a problemas na caixa de velocidades do Skoda Octavia.

A memorável luta dos Escort que deixou Vila Real ao rubro