Início Mod. individuais Xadrez

Circuito dos Campeões FPX: António Maria Pires dá nome à 1ª prova

103
Circuito dos Campeões FPX - António Maria Pires

O Circuito dos Campeões destina-se a homenagear, na pessoa dos Campeões Nacionais, todos os que ao longo dos anos têm prestigiado o xadrez e insere-se nas comemorações do aniversário da Federação Portuguesa de Xadrez (FPX).

A primeira prova realiza-se no dia 2 de julho de 2022 e prestará homenagem ao Dr. António Maria Pires que, em 1911, venceu o primeiro Campeonato Nacional.

O torneio antecede o leilão de ‘Jogos de Sociedade, da Ásia ao Ocidente‘ que contém importantes conjuntos de peças de xadrez que serão leiloadas no próximo dia 4 de julho.

Inscrições e informações da prova disponiveis através da plataforma de inscrições da FPX, o regulamento pode ser consultado no calendário.

António Maria PiresQuem foi Dr. António Maria Pires – O primeiro Campeão Nacional de Xadrez?

Nasceu em Lisboa, a 12 de Dezembro de 1888, Economista de profissão.

Foi presidente do Conselho de Administrativo da Universidade Livre de Lisboa, sedeada na Praça Luís de Camões, nº 46, 2º. Esta instituição tinha por missão “promover, tanto quanto possível, a educação moral, social, estética e cientifica do povo português”.

Foi ainda director e editor do Boletim Mensal desta Universidade, de Julho de 1914 até Março de 1915. A vida editorial desta publicação foi condicionada e influenciada pela Primeira Grande Guerra Mundial, sobretudo após a declaração de guerra da Alemanha a Portugal, em Março de 1916.

De facto, a partir desta data, a linha editorial do Boletim passou a ser orientada para a “propaganda patriótica”, ao mesmo tempo que a sua periodicidade passou a ser bimestral.

  • 1915 – Esteve ligado à fundação do Crédito Agrícola Mútuo
  • 1920 – Iniciou a atividade como corretor oficial de fundos públicos
  • 1929 – Fez parte da Assembleia de Fundadores dos Inválidos do Comércio, criada estatutariamente a 10 de Abril de 1929, vindo a revelar-se uma das associações de solidariedade, de cariz particular, de maior longevidade e com destacada importância na acção social em Portugal.

Trabalhou no Banco de Portugal e como atuário em diversas companhias de seguros. Foi também professor no Instituto Superior de Comércio, bem como no Ateneu Comercial de Lisboa.

António Maria Pires viria a falecer em 22 de Maio de 1954.

O Homem e a paixão pelo Xadrez

Os amigos caracterizavam-no como uma pessoa simples, poliglota, grande entusiasta e dinamizador do mutualismo, sociável e conversador. Desde cedo ganhou fascínio pelo xadrez, tendo sido campeão nacional da modalidade em 1911, em representação do Benfica. Com a categoria de mestre, manteve este titulo durante quinze anos.

Em 1925 dirigiu o 1º curso de xadrez na Universidade Livre de Lisboa.

Foi um dos cofundadores da Federação Portuguesa de Xadrez (FPX), em 22 de Janeiro de 1927, tendo desempenhado as funções de Director, Presidente da direcção e da Mesa da Assembleia Geral.

Jogou também xadrez por correspondência e em 1935 integrou a equipa que participou na 1ª Olimpíada por correspondência.

Em 1937 editou a Revista Portuguesa de Xadrez e propôs um esboço de análise de uma nova abertura intitulada “A Nova Saída do Bispo de Rei” e que mais tarde originara a “Abertura Portuguesa”, cujo estudo publicou em 1947.

Foi Sócio fundador do Grupo Xadrez Lisboa, tendo representado também o Grémio Literário e o Sport Lisboa e Benfica, clube onde presidiu à secção técnica de xadrez.