Ricardo Horta “salva” Portugal de uma derrota frente a Espanha

61

O internacional português Ricardo Horta, que tem sido notícia pelo alegado interesse do Benfica em “roubá-lo” ao Sp. Braga, regressou à seleção portuguesa de futebol quase 8 anos depois e salvou-a de um desaire frente a Espanha.

Segundo as palavras de Fernando Santos no final do encontro inaugural do Grupo A2 da edição 2022/2023 da Liga das Nações, este “papel” estava reservado para Cristiano Ronaldo – “estive sempre a contar que poderia entrar na segunda parte e resolver o jogo” -, mas o “herói” foi o avançado bracarense.

Na segunda internacionalização ‘AA’, depois da estreia a 7 de setembro de 2014, com um inesperado desaire por 1-0 na receção à Albânia, Ricardo Horta foi hoje a quarta e penúltima aposta do selecionador nacional, aos 72 minutos.

Depois de Rúben Neves, Gonçalo Guedes e Cristiano Ronaldo e antes de Matheus Nunes, o avançado de 27 anos foi lançado para o lugar de Rafael Leão e, 10 minutos depois, marcou o golo do empate, anulando o de Álvaro Morata, aos 25 minutos.

No embate de 2014, em Aveiro, Ricardo Horta também foi lançado no decorrer do jogo, e igualmente com Portugal a perder por 1-0, então aos 56 minutos, em substituição de William Carvalho, mas, dessa vez não conseguiu fazer a diferença.

A formação das “quinas” acabou mesmo por sofrer uma “escandalosa” derrota na receção aos albaneses, na estreia na qualificação para o Euro’2016, e Paulo Bento foi demitido, sendo contratado Fernando Santos.

O atual selecionador luso nunca apostou no avançado bracarense, até à última convocatória, para os quatro primeiros encontros de Portugal no Grupo A2 da Liga das Nações.

No Estádio Benito Villamarín, Ricardo Horta começou no banco, ao lado do companheiro de equipa nos “arsenalistas” David Carmo, e acabou por ser lançado, marcando na sua segunda internacionalização ‘AA’.

O avançado luso já tinha acabado a época em “grande”, ao serviço do Sp. Braga, ao tornar-se o melhor marcador da história do clube (93 golos).

Na época 2021/2022, Ricardo Horta destacou-se, sobretudo, na Liga Portugal BWin, ao marcar 19 golos, sendo o terceiro melhor marcador da prova, apenas atrás do uruguaio Darwin Núñez (26 golos pelo Benfica) e do iraniano Mehdi Taremi (20 golos pelo FC Porto).

Após o final do campeonato, o internacional luso tem sido notícia pelo alegado interesse do Benfica, clube que representou na formação.