Oran 2022: Andebol vai com algumas ausências no leque habitual

128
Oran 2022

Formação lusa vai participar no Oran 2022, 18ª edição dos Jogos do Mediterrâneo, entre os dias 26 e 30 de junho em Oran, na Argélia.

26 nações, em 24 disciplinas e 204 provas, participarão na competição que envolverá cerca de 4.500 atletas, entre 25 de junho e 6 de julho.

A vertente do Andebol vai decorrer entre os dias 26 e 30 de junho e Portugal estará representado pela Selecção Nacional A Feminina.

José António Silva, seleccionador nacional, encara esta participação como algo “importante para a evolução da equipa em termos futuros” e que esse será o principal objectivo da presença no Oran 2022.

É sempre importante nós estarmos presentes nestes momentos de Competição Internacional, que nos permitem dar mais competição às nossas atletas, mais contacto a este nível e vemos isto como um passo importante para a evolução da equipa em termos futuros.

Este é o objectivo fundamental. A equipa que nós vamos apresentar é uma equipa muito jovem, com atletas que estão agora a aparecer, na maior parte dos casos, e aquilo que se pretende é de facto dar-lhes experiência internacional, com adversários de bom nível e, fundamentalmente, com experiências diferentes daquelas com que elas habitualmente são confrontadas.”

Quanto à futura convocatória, o seleccionador refere algumas ausências do leque habitual, o que, no entanto, se reflete em novas oportunidades para as atletas mais jovens.

“Temos algumas limitações neste momento para formar a equipa, desde logo por compromissos anteriormente assumidos pelas nossas atletas e muitas delas como têm a época a começar muito próximo do final da competição.

Não estavam disponíveis para participar e portanto não serão convocadas. Outras participarão ainda no Campeonato do Mundo de Andebol de Praia e também não serão opção para esta competição.

Temos ainda, neste momento, alguns casos de lesão, que impedem que a equipa se apresente mais próxima daquilo que temos vindo a fazer nos últimos tempos.

Aliás, essa tem sido uma das limitações que nós temos sentido, temos tido variadíssimas lesões que nos têm impedido de estabilizar a equipa. Com este quadro, a opção foi tentar dar a oportunidade a algumas jovens atletas que, no nosso entendimento, têm potencial, fornecer-lhes esta experiência e enquadrá-las com algumas das jogadoras mais experientes, para que a equipa possa apresentar um bom nível competitivo.”

FP Andebol