Início Mod. individuais Ralis

Suninen entrega vitória no WRC2 a Rossel; Armindo é o melhor português

15
Armindo Araújo - Rally de Portugal 2022

Golpe de teatro no WRC2: Teemu Suninen partiu para a última especial com 57,4 segundos de vantagem sobre o segundo classificado, mas despistou-se, surpreendentemente, logo nas primeiras curvas da Power Stage, entregando a vitória de mão beijada a Yohan Rossel.

Armindo Araújo foi o melhor português, pela 11ª vez, no Vodafone Rally de Portugal.

Quando todos se preparavam para assinalar a vitória da dupla Teemu Suninen / Mikko Markkula (Hyundai i20 N Rally2) no WRC2, um despiste, no início da última classificativa, deitou tudo a perder para o finlandês, que assim entregou, de bandeja, a vitória à dupla Yohan Rossel / Valentin Sarreaud (Citroën C3 Rally2).

A história dos WRC2 neste 55º Vodafone Rally de Portugal passa por dois momentos decisivos. Primeiro, a desistência da dupla Andreas Mikkelsen / Torstein Eriksen, na noite de sexta-feira, numa altura em que dominava a competição, depois da equipa Toksport WRT ter constatado que não conseguiria resolver os problemas de motor do Skoda Fabia no tempo destinado à assistência.

Assumiram a penalização para entrarem em Rally2, no sábado, mas chegaram à conclusão de que o problema era irreparável.

Teemu Suninen ficou, assim, com a vida mais facilitada para vencer entre os WRC2, ‘herdando’, no arranque da segunda etapa, uma liderança que não mais largaria até… ao último troço da prova.

Os ralis não perdoam erros ou faltas de concentração e a dupla do Hyundai i20 N Rally2 pagou um preço elevado, ao despistar-se logo no começo da Power Stage de Fafe, sendo forçado a abandonar.

Foi este o segundo momento decisivo do Vodafone Rally de Portugal no WRC2.

Yohan Rossel e Valentin Sarreaud (Citroën C3 Rally2) herdaram um triunfo com o qual nem nos seus sonhos mais loucos imaginariam e bastou-lhes concluir a especial para cumprir a missão.

Uma pena para ele [Teemu]. Honestamente, um segundo lugar até seria um bom resultado, mas esta segunda vitória da época, ainda para mais em terra, é excelente para o campeonato”.

Rossel passou, ainda, para a liderança da competição, com 61 pontos, ultrapassando Mikkelsen, que mantém os 51 com que chegou a Portugal.

Na segunda posição terminaram Kajetan Kajetanowicz e Maciej Szczepaniak, em Skoda Fabia Rally2 evo. A dupla polaca ainda venceu a Super Especial de Lousada e a primeira passagem por Fafe, mas ficou quase sempre aquém de Rossel.

No lugar mais baixo do pódio, ficou o britânico Chris Ingram, que faz dupla com Craig Drew, também em Skoda Fabia Rally2 evo.

Armindo foi o melhor português

No que toca ao melhor português, se dúvidas restassem sobre a eventual vitória de Armindo Araújo e Luís Ramalho (Skoda Fabia Rally2 evo), a penalização de 10 segundos imposta a Ricardo Teodósio e José Teixeira (Hyundai i20 N Rally2), na penúltima classificativa, Felgueiras 2, por chegada atrasada ao controlo horário, pôs um ponto final a qualquer expectativa da equipa oficial da Hyundai Portugal.

O piloto de Santo Tirso é assim, pela 11ª vez em 15 participações, o melhor português no Vodafone Rally de Portugal. Sofreu alguns percalços durante a prova, nomeadamente no final da primeira etapa.

Foi batido por Teodósio nas contas do CPR (que ficaram fechadas no final de sexta-feira) e só chegou à liderança entre os lusos, após a segunda passagem por Amarante (PE15), na qual bateu o algarvio por 35,8s. Daí até final, nunca mais saiu do primeiro lugar.

Foi uma grande operação, mas foi pena os dois furos que sofremos na sexta-feira, no dia em que a prova pontuava para o campeonato nacional, que nos impediram de lutar pelo triunfo.

Depois, conseguimos recuperar o tempo perdido para sermos os melhores portugueses. Os troços de sexta-feira estavam um pouco duros, como se esperava, mas depois, no resto do rali, correu tudo muito bem… e o carro também esteve impecável.”

Paulo Caldeira e Ana Gonçalves (Citroën C3 Rally2) encerraram o pódio. Mantiveram um andamento muito regular ao longo do rali e tiraram partido das inúmeras desistências entre o ‘pelotão’ nacional.

Armindo Araújo acumulou o título de melhor português com uma positiva quinta posição entre os WRC2, logo seguido por Ricardo Teodósio.

Ingram no WRC2 Júnior

Na categoria WRC2 Júnior, a dupla Chris Ingram / Craig Drew impôs-se a Mikolaj Marczyk e Szymon Gospodarczyk, (ambos em Skoda Fabia Rally2 evo), por 1m14,7s. Na terceira posição ficaram Zaldivar Fabrizio e Carlos del Barrio, em Hyundai i20 N Rally2, já a 39m37,7s do vencedor.

Ingram assumiu, também, a liderança do campeonato, com 52 pontos, mais sete do que o checo Erik Cais (Ford Fiesta Rally2).

Raoux no WRC2 Masters

Jean-Michel Raoux e Laurent Magat (Volkswagen Polo GTI R5) venceram a categoria WRC2 Masters, depois de uma emocionante luta, ao longo de quase todo o rali, com a dupla Frédéric Rosati / S. Prévot, em Hyundai i20 N Rally2.

Os 2,3 segundos que separaram os dois primeiros neste Vodafone Rally de Portugal são bem a prova de quão intensa foi esta disputa. A dupla Laurent Battut / Eric Gressens, em Hyundai i20 R5, terminou no terceiro lugar, já a uns distantes 2m47,1s dos vencedores.

No WRC3, que em Portugal só pontuou para a categoria Júnior, a vitória sorriu a Sami Pajari e Enni Mälkönen (Ford Fiesta Rally3), enquanto a dupla Lauri Joona / Mikael Korhonen terminou no segundo posto, a 5m40,2s do vencedor.

ACP