Início Mod. individuais Ciclismo

Giro d’Italia 2022: Stefano Oldani vence 12ª etapa com ajuda da Alpecin-Fenix na fuga

24
Stefano Oldani - Giro d'Italia 2022

Stefano Oldani, de 24 anos, cumpriu os 204 quilómetros entre Parma e Génova em 4:26.47 horas, batendo sobre a meta o compatriota Lorenzo Rota (Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux), segundo, e o neerlandês Gijs Leemreize (Jumbo-Visma), terceiro, ambos com o mesmo tempo.

A estratégia da Alpecin-Fenix em colocar três homens na fuga do dia rendeu hoje a vitória ao italiano Stefano Oldani, na 12ª etapa da Volta a Itália, que continua liderada pelo espanhol Juan Pedro López (Trek-Segafredo).

Nas contas da geral, López conservou a liderança, com 12 segundos de vantagem para o segundo, o equatoriano Richard Carapaz (INEOS), e o terceiro, o português João Almeida (UAE Emirates).

Num dia em que a ‘caravana’ homenageou Wouter Weylandt, que morreu durante o Giro de 2011, uma ‘fuga bidone’ com 24 elementos discutiu a vitória, com a força dos números da Alpecin-Fenix, que colocou três homens, entre eles o ‘líder’ – e hoje, como noutros dias, trabalhador – Mathieu van der Poel.

O destaque dos três que acabaram a discutir na meta, deixou para trás homens importantes, como os neerlandeses Bauke Mollema (Trek-Segafredo) e Wilco Kelderman (BORA-hansgrohe), começando um exercício de ‘marcação’ cerradão.

Na chegada à meta, dois italianos e um neerlandês viveram um impasse ‘à mexicana’, com trocas de olhares entre os três antes de Leemreize lançar, com Oldani a ser mais rápido.

Conheço o Rota, é meu amigo, e sei que é rápido, por isso não foi fácil de gerir. O trabalho de Mathieu van der Poel foi crucial, sabíamos que tendo mais que um na fuga, iam vigiá-lo. Éramos a única equipa com três e conseguimos”, explicou o italiano no fim do dia.

O vencedor da tirada descreveu o primeiro triunfo profissional da carreira como “quase como magia”, mesmo que o tenha atribuído a “muito, muito trabalho”.

Para López, continua o “sonho incrível”, o nono dia com a camisola rosa, com a geral a ter poucas alterações no topo, para lá da subida de Kelderman a 13º, de 23º, dado o ganho de tempo da fuga.

O pelotão ‘rolou’ até Génova, onde chegou com mais de nove minutos de diferença para o vencedor, com João Almeida, 47º, a manter o terceiro lugar da geral, e o segundo na classificação da juventude.

Os outros dois portugueses em prova, ambos da UAE Emirates, perderam ligeiramente na geral: Rui Costa é agora 50º e Rui Oliveira 149º.

Na sexta-feira, a 13ª etapa liga Sanremo a Cuneo em 150 quilómetros, com apenas uma contagem de montanha, de terceira categoria, ainda na primeira metade da tirada.

Lusa