Início Mod. individuais Ciclismo

Volta a Portugal do Futuro 2022: Francisco Pereira atacou, venceu a 2ª etapa e é líder em Águeda

51
Volta a Portugal do Futuro 2022

Duplo vencedor da etapa dois da 29ª Volta a Portugal do Futuro / 2º Grande Prémio CMTV, Francisco Pereira foi o homem do dia esta sexta-feira na chegada a Águeda, porque além de vencer, o ciclista da ABTF Betão-Feirense assumiu a liderança da competição Sub-23 com a Camisola Amarela Sociedade Ponto Verde.

Aos 32 segundos de vantagem na meta para o anterior líder e aos 10 segundos de bonificação pela vitória, Pereira ainda somou cinco segundos amealhados nas metas volantes. A satisfação estava estampada no rosto do jovem corredor quando falou à imprensa.

Este sorriso é significado de todo o trabalho e dedicação ao longo dos anos e é sobretudo também um agradecimento aos que me têm apoiado desde o meu início no ciclismo“, afirmou um muito feliz Francisco Pereira.

Apesar da liderança, não se assume como candidato à vitória final, explicando que na equipa tem apenas mais um corredor para o ajudar. A formação de Santa Maria da Feira é uma das equipas que alinha nesta prova unicamente com dois elementos.

Francisco Pereira, após o segundo dia de prova passou de oito segundos de desvantagem para Pedro Silva (Glassdrive/Q8/Anicolor), o anterior líder, para 35 de vantagem. Pereira também assumiu o primeiro lugar nos pontos, classificação representada pela Camisola Verde CMTV.

Outro ciclista que também não poupou esforços na perseguição do objectivo, foi Daniel Dias (Kelly/Simoldes/UDO). Atacou todos os prémios de montanha em Miranda do Corvo (quarta categoria aos 6,9 quilómetros), Espinheira (terceira aos 42,3) e Luso (quarta aos 49,3).

Em todos foi segundo e cimentou a liderança na luta pela Camisola Azul PSG. O símbolo da juventude, a Camisola Branca Exclusivagora, continua com o espanhol Inaki Errazquin (Aluminios Cortizo).

Mais uma Etapa muito Animada

Com as três contagens de montanha colocadas nos primeiros 50 quilómetros, a etapa que começou na Lousã foi muito animada, com várias fugas, mas as movimentações principais, e de onde saíram os jovens que discutiram a etapa, aconteceram na fase final quando o terreno era mais plano.

Fernando Manuel Rodriguez (Bicicletas Rodriguez Extremadura), Alejandro Paz (Aluminios Cortizo), Duarte Mixão (Alenquer-GDM-SobralCar), João Faustino (Almodôvar-Delta Cafés-Crédito Agrícola), João Rocha (Porminho Team Sub23), Pedro Crispim (Fortunna-Maia-Escribano), David Pollan (Ciclismo Galego Federación) e Francisco Pereira (ABTF Betão-Feirense) integraram uma frente de corrida que chegou a ter mais de dois minutos de vantagem.

Pereira e o espanhol Rodriguez movimentaram o grupo a cerca de dez quilómetros para a meta e aí chegaram isolados. No duelo ibérico foi mais forte o sprint do português.

O pelotão, entretanto, absorveu os intermédios e alcançou Águeda com um atraso de 32 segundos. Pedro Silva, o anterior comandante, encabeçou a coluna e sem perceber que havia corredores adiantados cruzou a meta festejando o que pensava ser uma vitória e o consolidar da liderança.

Afinal foi terceiro classificado. Baixava para a segunda posição da geral.

Sábado de decisões

A terceira etapa trará as maiores dificuldades de montanha da 29ª Volta a Portugal do Futuro / 2º Grande Prémio CMTV. A etapa é a mais curta, com 122,9 quilómetros que vão começar em Cortegaça (Ovar), mas será a mais difícil.

A meta vai estar na Serra de São Macário, em São Pedro do Sul, e coincide com uma contagem de primeira categoria.

Antes, há dois prémios de montanha de terceira categoria que poderão ser um primeiro ponto de interesse: Sever do Vouga (60,8 quilómetros) e Arcozelo das Maias (75,6).

As metas volantes estarão em Estarreja (28,3), Oliveira de Frades (89) e São Pedro do Sul (103,7).

Podium Events