Início Mod. individuais Vela

Troféu Princesa Sofia 2022: Equipa portuguesa inicia campanha rumo a Paris 2024

37
Troféu Princesa Sofia 2022

Realiza-se, em Palma de Maiorca, entre os dias 4 e 9 de Abril, o Troféu Princesa Sofia, disputado por classes olímpicas de vela.

Este campeonato marca o início das competições de vela, tendo como objectivo o apuramento para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. O evento conta com 800 tripulações inscritas, mais de 1000 velejadores, provenientes de 62 nacionalidades, distribuídas pelas 10 classes olímpicas em competição: as femininas ILCA6, 49FX, IQFoil Women e Fórmula Kite Women; as masculinas ILCA7, 49er, IQFoil Men e Fórmula Kite Men; e as mistas 470 e Nacra17.

Apesar de não ser ainda uma prova que garanta entradas nos Jogos Olímpicos, é a primeira prova pontuável para o circuito mundial organizado pela World Sailing (Federação Internacional de Vela), onde grande parte dos velejadores presentes vão ao longo dos próximos 3 anos competir pera se qualificarem para Paris2024.

Portugal vai marcar presença com 12 velejadores. Na Classe 470, com as equipas Diogo Costa/Carolina João e Beatriz Gago/Rodolfo Pires; em ILCA7, com Eduardo Marques, Santiago Sampaio e Lourenço Mateus; nos 49er com Tomás Barreto/João Prieto; na Fórmula Kite Men com Pedro Marcos, Pedro Afonso e Tomás Pires de Lima.

Classe 470

Depois de ter estado presente em Tóquio na classe 470 masculina, Diogo Costa faz nesta campanha olímpica equipa com Carolina João, também ela velejadora nas últimas olimpíadas, mas na classe ILCA6.

Para o atual vice-campeão do mundo de 470, “este campeonato é o primeiro grande teste como dupla e marca o início do circuito europeu que terá regatas em Espanha, França, Holanda e Alemanha.

Para nós é um momento importante da época, pois vai permitir avaliar o trabalho que fizemos desde que iniciámos esta campanha em Setembro. Até agora temos treinado muitos aspectos técnicos e trabalhado a criação da nossa dupla, tentando criar bases sólidas para o resto da época”.

Segundo Beatriz Gago, que realiza pela primeira vez uma campanha olímpica, “O Troféu Princesa Sofia é o primeiro grande campeonato de absolutos que vamos fazer enquanto equipa. Queremos por em prática o que temos vindo a trabalhar até aqui, e ganhar experiência para os campeonatos que vamos ter ao longo da época.

Classe 49er

Na classe 49er, onde Portugal tem tradição e obteve um diploma olímpico em Tóquio, a promissora tripulação formada por Tomás Barreto/João Prieto, que começou a navegar no último ciclo Olímpico, vai assumir a representação em Palma de Maiorca.

O leme Tomás Barreto salienta que “temos feito uma preparação intensa em Palma nestes dias que antecedem o campeonato, com algumas das melhores tripulações internacionais.

Isto permite-nos evoluir e comparar andamentos. As indicações que retiramos são boas e que estamos no bom caminho. Estamos rápidos e com boa manobra, o que nos dá confiança para estarmos competitivos”.

Classe ILCA7

Para Eduardo Marques, que esteve muito próximo do apuramento para Tóquio e que tem como objectivo o apuramento para Paris2024, “nesta primeira grande prova de 2022 pretendo consolidar a minha evolução do ano anterior e terminar dentro do top 10-15”.

O velejador refere que “o Troféu Princesa Sofia sempre foi um campeonato em que a Federação Portuguesa de Vela apostou. Por norma, é o campeonato internacional com mais velejadores presentes, o que torna bastante difíceis as regatas por múltiplos factores, como são a presença de muitos barcos, o pouco vento predominante, mar liso e as regatas não serem muito grandes, o que faz com que as largadas sejam muito importantes, pois é difícil depois de recuperar”.

Outro dos velejadores portugueses presentes na classe ILCA7 é Santiago Sampaio.

Estamos aqui em Palma [de Maiorca] desde o início de Março a treinar e a melhorar juntos. Foi bom mais uma vez trabalhar em conjunto com os restantes portugueses e penso que fizemos um bom trabalho de preparação.

Sinto que estamos os três preparados para fazer boas regatas e estou a trabalhar no sentido de ser sólido e estar a lutar pelos resultados de topo no fim da semana”, salienta Sampaio.

Segundo Lourenço Mateus, o atual campeão nacional da classe, “o Troféu Princesa Sofia é sempre um campeonato difícil porque apenas temos dois dias de qualifying, o que faz com que os erros se paguem caro.

É também o primeiro grande campeonato do ano, logo será o primeiro grande teste depois de 4 meses de treino. Sinto-me confiante com o trabalho que realizei nestes últimos meses e confiante que vai correr bem”.

Fórmula Kite

A Fórmula Kite, masculina e feminina, é uma disciplina nova presente nas próximas olimpíadas.

Para o atual campeão nacional, Pedro Marcos, “o nível da frota inscrita no Princesa Sofia é muitíssimo elevado, estarão presentes praticamente todos os melhores atletas do mundo da modalidade.

Serão certamente regatas muito disputadas, esperemos que as condições de vento permitam realizar o número de regatas previstas, de forma a tirar o máximo partido da competição.

Estou curioso também para ver o resultado dos treinos com os mais novos, que evoluíram bastante neste último ano, e certamente estarão competitivos”.

Segundo Tomás Pires de Lima, que migrou dos ILCA7 para o kite, “no Princesa Sofia estou à espera de uma competição com um nível muito elevado, vou estar focado em trabalhar as largadas e evitar tangles. Este vai ser mais um bom momento de evolução, com vista a Paris 2024”.

Para Pedro Afonso “o Troféu Princesa Sofia vai ser bastante importante para ter uma ideia do nível da frota internacional. Esta vai ser a minha segunda prova após a minha lesão ao joelho, estou confiante que será um bom campeonato.

FP Vela