Início Mod. colectivas Andebol

EHF Champions League: Empate de gigantes no Dragão Arena

110
EHF Champions League 2021 - Porto x Barcelona (Jogo)

Exibição de gala do FC Porto em jogo histórico que terminou empatado a 33 golos, frente ao campeão europeu em título, FC Barcelona.

Sem Diogo Silva por lesão e com o restante plantel apto para defrontar o campeão europeu, o FC Porto entrou em campo com Sebastian Frandsen na baliza, Djibril M’Bengué e Ivan Sliskovic nas laterais, Diogo Branquinho e António Areia nas pontas e ainda Rui Silva e Victor Iturriza.

Nos primeiros minutos, o FC Porto foi dono e senhor do jogo e a qualidade exibicional dos Dragões contrastava com um Barcelona FC algo adormecido e a cometer vários erros ofensivos.

Aos quatro minutos, os azuis e brancos venciam por 3-0 e o primeiro golo catalão apareceu apenas aos sete, através de um livre de 7 metros.

O FC Porto liderou o marcador até aos 16 minutos, altura em que o Barça chegou pela primeira vez à liderança (7-8) com os guarda-redes Gonzalo Peréz de Vargas e Sebastian Frandsen a reclamarem para si as atenções, ao protagonizarem várias defesas contundentes.

Já dentro dos cinco minutos finais da primeira parte, e após mais duas defesas do guarda-redes dinamarquês do FC Porto, que passou a contabilizar seis, os Dragões voltaram ao patamar de três golos de vantagem (15-12) levando à explosão dos adeptos no Dragão Arena e também ao time-out por parte do treinador espanhol Carlos Ortega.

Ao intervalo, o FC Porto estava na frente por 17-14 com o último golo desse período a ser apontado pelo lateral croata Ivan Sliskovic na transformação de um livre directo em que o guardião espanhol do Barcelona FC acabou por ficar mal na fotografia.

O reatar de jogo assemelhou-se ao início da partida, com o Campeão Nacional a atingir o 21-14, voltando a apanhar desprevenido o Campeão Europeu.

Já com o 7×6 a funcionar, o emblema espanhol apertou, conseguiu aproximar-se até à margem mínima (25-24) e, mais tarde, chegar ao empate (27-27) mas o FC Porto manteve-se na luta com eficácia nos processos e com a ajuda do guarda-redes Nikola Mitrevski, que entrou no decorrer da etapa complementar.

Dentro dos cinco minutos finais, e após alguma insistência, os espanhóis chegaram à liderança (30-31) – algo que não acontecia desde os 22 minutos de jogo.

No entanto, a vantagem catalã não durou muito, porque Sebastian Frandsen voltou a dizer presente e, na resposta, Pedro Cruz devolveu a vantagem ao Dragão (32-31).

Após uma exclusão de Ivan Sliskovic em cima dos 28 minutos, o FC Porto teve que lutar pela vitória com menos um elemento e com o jogo empatado a 20 segundos do fim, Magnus Andersson parou o jogo e preparou o último ataque portista do encontro e que resultou na defesa mais importante do jogo, de Gonzalo Peréz de Vargas, ao remate de Fábio Magalhães.

Num final de jogo dramático, o bloco de Djibril M’Bengué salvou o empate para o FC Porto (33-33) nos últimos segundos.

FP Andebol