Início Mod. colectivas Basquetebol

Terceira recebe campo 3×3 BasketArt, o 1º fora de Portugal Continental

96
Campo 3x3 BasketArt - Praia da Vitória - Terceira

Quis o acaso que o 9º campo 3X3 do projecto BasketArt fosse inaugurado numa das nove ilhas dos Açores. Trata-se do primeiro projecto a atravessar o Atlântico com o intuito de dinamizar a prática do basquetebol nas ilhas portuguesas.

A inauguração aconteceu este sábado, 2 de outubro, e teve a cidade da Praia da Vitória, na ilha Terceira, como palco.

A sessão de inauguração contou com a presença de Rui Dias, vice-presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), Rui Valadão, Presidente da Associação de Basquetebol da Ilha Terceira (ABIT), e Rui Messias, do departamento de desporto da Câmara Municipal da Praia da Vitória.

Rui Valadão, da ABIT, abriu as hostes da sessão garantindo que “este espaço é o primeiro de vários que se pretende inaugurar na ilha Terceira“.

Há mais dois projectos inseridos no 3×3 BasketArt em Angra do Heroísmo em andamento, o que é fruto da aposta numa modalidade que já está reconhecida e consolidada pela FPB e pela FIBA, como é já o 3X3.

É mais um espaço qualificado para que tanto os clubes, como os próprios atletas, possam apostar e competir neste formato. Que pratiquem e se fidelizem à modalidade”, disse.

Rui Dias, em representação da FPB, disse que “este é um momento particularmente importante para o projecto 3×3 BasketArt, porque é a primeira vez que é levado para uma das nossas ilhas, quer na Madeira, quer nos Açores“.

O projecto 3×3 BasketArt tem um propósito fundamental, que é o de promover a prática informal do basquetebol e que incentive o surgimento de novos projectos de basquetebol em destinos improváveis”, afirmou.

O vice-presidente da FPB acrescentou também que “o basquetebol português está muito localizado numa faixa litoral entre Guimarães e Setúbal e fora desse território temos muita dificuldade em afirmar a nossa modalidade“.

E esta ideia de associar esta disciplina nova, que é o 3X3, que já é modalidade olímpica, e que tem já um roteiro mundial que se transformou num produto rentável e desejado por muitos atletas“.

O que se pretende é que os jovens que comecem aqui cheguem aos clubes que existem ou, eventualmente, deem origem a novos clubes. A arte urbana é aqui mais uma ferramenta apelativa para criar mais atratividade para o desporto e queremos agradecer à Câmara Municipal da Praia da Vitória, na pessoa do Nelson Coelho que, juntamente com a sua equipa, concebeu esta obra de arte que está aqui representada e pelo seu simbolismo de evidenciar que o basquetebol também está aqui nesta pequena parte do mundo“.

Queremos muito que esta semente que aqui lançámos hoje possa germinar pela ilha e pela região inteira”, vincou.

Rui Dias deixou ainda palavras de agradecimento a uma açoriana que integra a FPB e que é “mãe deste projecto”, Helena Cunha, natural de São Miguel.

Rui Messias, do Departamento de desporto do município, deixou três breves mensagens

Um agradecimento à parceria das duas instituições (FPB e ABIT) e um agradecimento muito especial ao Nelson e à equipa que executou este projecto, que é resultado do trabalho deles. Continuamos com investimentos neste local e em breve teremos mais valências desportivas aqui implementadas e algumas delas também associadas ao basquetebol.

Uma segunda mensagem sobretudo para os atletas: usem e abusem destes equipamentos porque assim é muito mais fácil de justificar a sua implementação, assim como a sua manutenção.

Uma última mensagem, que é mais um apelo que fazemos em resultado do contacto que vamos tendo com as instituições: incentivem os jovens à prática do desporto, mas incentivem-nos, também, a que no futuro venham a ser eles os líderes e dirigentes destas instituições”, declarou.

O encontro de inauguração da nova estrutura desportiva na zona do Paúl contou com a participação activa dos atletas do clube local “Os Vitorinos” que, aliás, “já andavam a praticar a modalidade de 3X3 nestas instalações nas semanas anteriores à inauguração formal” confidenciou o presidente do clube, André Gonçalves.

A mensagem artística que Nelson Coelho e a sua equipa quiseram passar foi a de que “nos Açores, nesta pequeníssima parte do globo terrestre, há também uma grande paixão pelo basquetebol”.

FP Basquetebol