Início Mod. individuais Fórmula E

Fórmula E 2021: Félix da Costa põe Techeetah de novo no topo das Equipas, em ExCel

12
DS Techeetah

A 12ª ronda do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula E realizou-se hoje em Londres e provou que o Campeonato ainda está em aberto, começando a ficar claro que a luta pelo título será bastante renhida.

A corrida, a primeira de sempre realizada no circuito londrino de ExCel, com 2,25 km de extensão, ficou marcada por ter o nono vencedor diferente em 12 provas.

Não foi um sábado fácil para a DS TECHEETAH, mas, ao terminar em 8º, António Félix da Costa conseguiu colocar a DS TECHEETAH de novo no topo da classificação por Equipas, liderando agora com 2 pontos de vantagem face à Envision Virgin Racing.

O piloto português está agora no 2º lugar na classificação de Pilotos, apenas a 1 ponto da liderança e em plena disputa pelo título. Com três corridas pela frente, Jean-Éric Vergne mantém-se em destaque, a 13 pontos do líder.

O francês terminou hoje em 12º lugar, após uma forte recuperação a partir da 23ª posição na grelha de partida.

O DS E-TENSE FE21 mostrou-se competitivo no circuito britânico. Na primeira sessão de treinos livres, possibilitou a primeira posição a JEV e a 4ª posição a Félix da Costa.

A segunda sessão foi perturbada pela chuva, e novamente “presos” no grupo 1 para qualificação, ambos os pilotos conseguiram ultrapassar uma sessão de qualificação bastante frustrante, com Félix da Costa a assegurar a P17 na grelha e Vergne a P23.

Na partida, Félix da Costa conseguiu ganhar algumas posições e, graças a uma corrida sólida, progrediu na classificação e terminou em 8º lugar.

Partindo mais atrás, JEV conseguiu evitar as complicações das voltas iniciais e recuperou várias posições na parte final da corrida, quando utilizou os seus dois modos de ataque, cruzando a meta em P14.

A segunda corrida do E-Prix de Londres terá lugar amanhã, domingo, a partir das 14:04 (GMT)

António Félix da Costa, P8

Por estarmos no grupo 1 e na primeira posição, tivemos a luta habitual na sessão de qualificação. Desta vez, a pista estava a começar a secar, por isso todos os que arrancaram depois de nós foram mais rápidos…

Arrancar da P17 e terminar em 9º não é mau. Foi um dia difícil, mas conseguimos alguns pontos muito valiosos tanto para a classificação de Equipas como para a de Pilotos. Lentamente, vamo-nos aproximando do topo”.

Jean-Éric Vergne, P12

Estar no grupo 1 é sempre complicado. Tendo em conta a situação, decidimos mudar o grupo propulsor a fim de estarmos seguros para o final da época, embora isto nos tenha custado um ‘drive-through’.

Hoje, o carro estava muito bom, por isso estou ansioso pela corrida de amanhã”.

Artigo anteriorBaja Aragón 2021: PRK Rally Team perto do top-10 em Teruel
Próximo artigoNadadora portuguesa é campeã da Europa de Júniores em Águas Abertas