WRC 2017 começa em Monte-Carlo com estreia do novo C3 WRC da...

WRC 2017 começa em Monte-Carlo com estreia do novo C3 WRC da Citroen

Projectado de acordo com os novos regulamentos FIA, o Citroen C3 WRC estreia-se em competição. Para esta ronda inicial do WRC 2017 foram inscritos 2 carros

205

Chegou o momento tão aguardado pelos fãs do WRC: dentro de dias tem início o Campeonato do Mundo de Ralis 2017, arrancando com o lendário Rali de Monte-Carlo. Projectado de acordo com os novos regulamentos da FIA, o Citroën C3 WRC fará a sua estreia em competição. Para esta ronda inicial do campeonato foram inscritos dois carros, para as duplas Kris Meeke/Paul Nagle e Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau.

Rali de Monte-Carlo: Simplesmente mítico

Para além do prestígio do seu nome, o Rali de Monte-Carlo deve a sua reputação às imprevisíveis e constantes alterações das condições da prova. Em Janeiro, as estradas localizadas no alto nas montanhas do sudoeste francês podem estar cobertas com neve, gelo, humidade, podem mesmo apresentar-se secas. O mais divertido é que uma só especial pode ter tudo isto. A escolha dos pneus é, por isso, muito importante. Para uma ronda completa de especiais são escolhidos os pneus que se acredita serem mais convenientes. As diferenças entre eles podem ser grandes, mas também desaparecer muito rapidamente, o que torna esta prova ainda mais emocionante.

Este ano disputa-se a 85º edição da prova, tornando-o no rali mais antigo do mundo, realizando-se ao longo de quatro dias. O rali inicia-se na Quinta-feira (dia 19 de Janeiro) à tarde, com a cerimónia inaugural no Mónaco. Os veículos partem depois para Gap, para a disputa das especiais nocturnas, sendo que uma delas é nova este ano. Depois de um breve descanso, o segundo dia promete ser intenso, com duas rondas por três especiais, disputadas nas zonas de Isère e Hautes-Alpes. No Sábado, os participantes irão regressar ao Mónaco, disputando-se cinco especiais. A última não terá assistência e inclui a subida do famoso Col de Turini. O rali termina no Principado no Domingo (dia 22) ao início da tarde.

Os desafios: O início de uma nova era no WRC

O início de uma nova temporada é sempre interessante para os fãs dos ralis. Este ano vai sê-lo ainda mais devido ao surgimento de novos veículos, mais potentes e mais espectaculares do que os anteriores. Para além do novo regulamento e dos novos carros, este ano o mercado de pilotos foi especialmente movimentado, com o início desta temporada de 2017 repleto de incógnitas.

Qual é o verdadeiro nível dos veículos? Serão suficientemente fiáveis? Quem vai ser o que melhor se adapta a estas novas montadas? Muitas perguntas que, em parte, poderão ver-se respondidas quando acabar o Monte-Carlo.

No seu regresso ao WRC como equipa oficial, o Citroën Total Abu Dhabi WRT gerou muito interesse, mas será com humildade que a ‘Armada Vermelha’ se irá apresentar. Todos estão ansiosos pelo seu início, numa mistura de excitação e ansiedade, para ver se os resultados do árduo trabalho realizado nos últimos dois anos cumprem com as ambições da Marca.

Em quatro das cinco primeiras provas da temporada, o Citroën Total Abu Dhabi WRT apenas irá inscrever dois C3 WRC. Desta vez Kris Meeke/Paul Nagle e Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau foram escolhidos para marcar pontos no Campeonato do Mundo de Construtores, enquanto Craig Breen/Scott Martin irão correr com um veículo da geração anterior. Todos podem marcar pontos para o Campeonato de Pilotos.

No ano passado, Kris Meeke esteve em luta pela vitória até abandonar. Stéphane Lefebvre foi 5º, naquele que ainda é o seu melhor resultado no Mundial de Ralis. Este ano os dois companheiros de equipa têm o mesmo objectivo: eliminar as incógnitas e gerir as variáveis, tentando resolver a complicada equação colocada pelo Rali de Monte-Carlo 2017.