Windmill Classic 2016: Portugal no pódio europeu de Softebol

Windmill Classic 2016: Portugal no pódio europeu de Softebol

O feito da Lisboa Crushers na terceira edição do Windmill Classic foi a melhor classificação de sempre de uma equipa portuguesa em território europeu.

460

O feito único que a equipa dos Salesianos de Lisboa Crushers obteve na terceira edição do Windmill Classic (maior clássica europeia de Softebol, versão Slow-Pitch) passará a constar dos registos históricos da modalidade como a melhor classificação de sempre de uma equipa portuguesa em território europeu.

A segunda maior competição de Softebol da Europa, que decorreu na Holanda, perto de Amesterdão, entre os dias 30 de Junho e 4 de Julho, contou com a participação da equipa dos Crushers de Lisboa, que na categoria mista (constituída por cinco homens e cinco mulheres), obteve um impressionante terceiro lugar entre algumas das maiores equipas da Europa, no escalão sénior.

Com somente um elemento com idade sénior no plantel (todos os restantes jogadores têm entre os 15 e os 17 anos), a equipa portuguesa mostrou a coragem e a ambição que os caracteriza desde 2014 (primeiro ano em que ‘ousaram’ entrar no circuito europeu da modalidade) frente a algumas das melhores equipas da modalidade a nível europeu como os Hairy Coos (equipa da Liga A europeia de Softebol) e a Selecção Holandesa (campeã europeia), entre outros.

Destaque para os resultados de 7-14 frente à Selecção Holandesa (que apesar da derrota, não deixa de ser um resultado de registo se tivermos em conta o currículo do adversário), o 4-5 frente aos Base Invaders (uma das melhores equipas inglesas da actualidade) e as vitórias por 5-4 aos HTH (uma das equipas de referência do panorama europeu) e o perfeito e inimaginável 15-0 contra os Usual Suspects (campeões irlandeses); este foi o maior e melhor resultado de sempre de uma equipa portuguesa na Europa.

Individualmente destacam-se Miguel Teixeira com 3 home-runs (jogada máxima no Softebol que garante automaticamente uma corrida – ponto), Mariana Pereira que, com apenas 15 anos de idade, foi responsável por 19 eliminações em toda competição, as excelentes prestações defensivas de Tomás Durão, Pedro Eusébio e Maria Pato e a estatística completa de 23 strike-outs, 16 assistências e 2 home-runs do “pitcher” Frederico Cruz.

Equipa Feminina consegue 4º lugar

Mas os Salesianos de Lisboa Crushers não estiveram em competição apenas com a equipa mista, tendo competido também com uma equipa feminina, naquela que foi a primeira participação nesta categoria de uma equipa portuguesa a nível europeu e no escalão sénior.

Com uma média de idades a rondar os 16 anos, a equipa feminina conseguiu, também ela, uma classificação histórica numa competição europeia, logo na sua estreia, mostrando uma qualidade técnica impressionante perante equipas muito mais experientes e mais adultas.

Apesar do 4º lugar, a equipa dos Salesianos de Lisboa Crushers esteve muito perto de conseguir chegar à final, uma vez que perdeu o jogo das meias-finais contra a equipa holandesa das Rock Angels por 5-6 após dois prolongamentos e na última jogada.

Estas participações europeias da equipa pertencente ao Colégio Lisboeta mostram o enorme potencial humano existente nos Salesianos de Lisboa, que em seis anos de existência são considerados, neste momento, a maior equipa emergente do Softebol Europeu (por mérito próprio), após a conquista de um terceiro e quatro lugares na terceira edição da segunda maior competição de Softebol da Europa.