Volvo Ocean Race reescreve a história mundial da vela

Volvo Ocean Race reescreve a história mundial da vela

22

A história da vela mundial foi reescrita no passado dia 5 de Abril. Pela primeira vez na etapa mais longa da Volvo Ocean Race – quase 13 mil quilómetros entre a Nova Zelândia e o Brasil – quatro barcos terminaram a prova com menos de uma hora de diferença entre eles.

Abu Dhabi Ocean RacingContudo, a vitória foi da equipa Abu Dhabi Ocean Racing; o barco dos emirados comandado pelo medalhado olímpico Ian Walker passou a linha de chegada da quinta etapa da Volvo Ocean Race em primeiro lugar, depois de 18 dias 23 horas e 30 minutos. Pouco tempo depois – 55 minutos exactos – chegaram as equipas MAPFRE, Team Alvimedica e Team Brunel. A equipa assume assim a liderança na tabela geral, com mais sete pontos do segundo classificado, para além de bater o recorde de milhas velejadas em 24 horas – 550,8 milhas náuticas.

O primeiro e segundo lugares são assim ocupados por duas equipas com ligação a Portugal: Abu Dhabi Ocean Racing, que pela segunda vez escolheu Portugal, mais precisamente Cascais, como a sua base de treinos e a equipa da MAPFRE que tem na sua equipa de terra o velejador português Renato Conde.

Foi uma etapa dura e desgastante! Um final apertado e os barcos andaram sempre próximos desde o início da regata até ao fim. O primeiro lugar foi resultado do excelente desempenho da nossa tripulação no percurso. O segredo dos barcos de design único é velejar bem. Se fizermos tudo bem seremos recompensados no fim“, disse Ian Walker, comandante do Abu Dhabi Ocean Racing.

Na edição passada o Abu Dhabi não teve a mesma sorte, já que não concluiu o percurso até Itajaí por problemas na embarcação. Agora a equipa dos emirados lidera a competição com sete pontos de diferença para o segundo classificado.

Bater o recorde de milhas velejadas em 24 horas foi uma mistura de sorte com poucas mudanças de velas. Apanhámos o vento constante e o rumo perfeito. Quando nos aperecebemos disto foi sempre a acelerar“, comentou Ian Walker, comandante do Abu Dhabi.

Os próximos barcos a chegar são o da Team SCA, equipa 100% feminina, e o da Dongfeng, que partiu o mastro a 240 milhas do Cabo Horn e viaja agora a motor.

Chegada a Itajaí

A maior regata do mundo parou na cidade catarinense pela segunda vez e, só no primeiro fim-de-semana do mega-evento desportivo, quase 70 mil pessoas foram assistir à chegada dos barcos nos molhes de Itajaí e Navegantes. A previsão é que até ao dia 19 de Abril – data da largada para Newport – mais de 300 mil pessoas se envolvam com a regata.

* 20.000 pessoas nos molhes de Itajaí e Navegantes
* 49.748 pessoas na Vila da Regata em apenas três dias
* O objectivo é chegar a 300.000 mil pessoas
* Itajaí tem 203.000 habitantes

Eu nunca vi uma recepção assim. É impressionante a quantidade de pessoas que estavam à nossa espera. Espero que na minha cidade – Newport – façam o mesmo“, disse Charles Enright, comandante do Team Brunel.

Chegar ao Brasil é especial. Tenho um carinho muito grande por este país“, afirmou Chunny Bermudez, tripulante da equipa vencedora.

Foi uma etapa difícil. Estou feliz por chegar ao Brasil, apesar de não ter gostado de acabar na quarta posição“, Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel.

O percurso de Auckland até Itajaí em números

* Abu Dhabi Ocean Racing – 18 dias, 23 horas e 30 minutos
* MAPFRE – 19 dias e 02 minutos
* Team Alvimedica – 19 dias e 24 minutos
* Team Brunel – 19 dias e 25 minutos
* 549 milhas percorridas em 24 horas pelo Abu Dhabi Ocean Racing – recorde desta edição da Volvo Ocean Race

Classificação

* Abu Dhabi Ocean Race – 9 pontos
* Dongfeng Race Team – 16 pontos
* Team Brunel – 18 pontos
* MAPFRE – 18 pontos
* Team Alvmedica – 19 pontos
* Team SCA – 29 pontos