Volta ao Algarve 2017 traz craques internacionais e mostra o Algarve ao...

Volta ao Algarve 2017 traz craques internacionais e mostra o Algarve ao Mundo

O ciclismo é, pela sua natureza, um dos instrumentos mais poderosos para divulgar as regiões e as paisagens atravessadas pelos ciclistas

64

A 43ª edição da Volta ao Algarve, a disputar entre 15 e 19 de Fevereiro, traz ao sul do país alguns dos melhores ciclistas do pelotão internacional, atraindo as atenções sobre um evento que terá transmissão televisiva em directo para 68 milhões de lares, distribuídos por 55 países. Em Portugal a corrida poderá ser vista no Eurosport e na TVI24.

A televisão vai transmitir a última hora de cada etapa, diariamente entre as 16h00 e as 17h00. O directo será possível graças ao investimento da Região de Turismo do Algarve e da Associação Turismo do Algarve, em parceria com o Turismo de Portugal, que encaram a Volta ao Algarve, organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo, como um extraordinário meio de promoção internacional da região. O apoio dos municípios que recebem as partidas e chegadas foi também importante para que se desse este passo decisivo para o crescimento da Volta ao Algarve.

O ciclismo é, pela sua natureza, um dos instrumentos mais poderosos para divulgar as regiões e as paisagens atravessadas pelos ciclistas. O interesse do público será maior se a qualidade do produto desportivo for elevada. É isso que acontece com a 43ª Volta ao Algarve, uma corrida equilibrada em termos de percurso – duas etapas para sprinters, duas chegadas em alto e um contra-relógio individual -, algo fundamental para atrair grandes equipas e ciclistas de eleição, o que acontece, novamente, em 2017.

A corrida será disputada por 25 equipas e 200 corredores, oriundos de 27 países distintos. Das 18 equipas WorldTour existentes no Mundo inteiro, 12 estarão na Volta ao Algarve. O pelotão conta 22 corredores do top-100 internacional, com o campeão do mundo de contra-relógio, Tony Martin (Team Katusha Alpecin), e com o campeão europeu da mesma disciplina, Jonathan Castroviejo (Movistar).

Além dos detentores dos títulos mundial e continental, a Volta ao Algarve recebe outros especialistas na luta contra o tempo, entre os quais seis campeões nacionais de contra-relógio: o português Nelson Oliveira (Movistar), o norueguês Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), o lituano Ignatas Konovalovas (FDJ), o esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), o russo Sergei Chernetskii (Astana) e o estadunidense Taylor Phinney (Cannondale Drapac).

Mas nem só de contra-relogistas se faz o pelotão da Volta ao Algarve, que terá na linha de partida um poderoso conjunto de velocistas, homens capazes de vencerem etapas ao sprint em qualquer uma das melhores corridas do mundo. É o caso de André Greipel (Lotto Soudal), Arnaud Démare (FDJ), Dylan Groenewegen (Team Lotto NL-Jumbo), Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), Giacomo Nizzolo, Jasper Stuyven, John Degenkolb (Trek-Segafredo) e Nacer Bouhanni (Cofidis), citando apenas alguns dos mais velozes membros da lista preliminar de inscritos.

A luta pela camisola amarela deverá envolver, entre outros, Andrey Amador (Movistar), Daniel Martin (Quick-Step Floors), Luis León Sánchez (Astana), Michal Kwiatkowski (Team Sky), Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), Stephen Cummings (Team Dimension Data), Taylor Phinney (Cannondale Drapac), Tony Gallopin (Lotto Soudal) e Tony Martin (Team Katusha Alpecin).

Outro dos aliciantes da Volta ao Algarve é a oportunidade que dá aos adeptos nacionais de ver ao vivo alguns dos emigrantes do ciclismo luso, muitos com aspirações aos primeiros lugares. Estão inscritos José Gonçalves e Tiago Machado (Team Katusha Alpecin), José Mendes (Bora-hansgrohe), Nelson Oliveira e Nuno Bico (Movistar), Rafael Reis (Caja Rural-Seguros RGA), Ricardo Vilela (Manzan Postobón) e Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo).

As equipas portuguesas têm na Volta ao Algarve o segundo ponto de grande mediatismo do ano, esperando-se que o aproveitem para procurar surpreender os blocos forasteiros, dando alegrias aos seguidores locais. No ano passado, foi Amaro Antunes quem se destacou neste particular. De 15 a 19 de Fevereiro veremos se o algarvio volta a evidenciar-se ou se tem rival no pelotão caseiro.

Classificações Oficiais

* Geral Individual – Camisola Amarela Turismo do Algarve
* Pontos – Camisola Vermelha Cofidis
* Montanha – Camisola Azul Liberty Seguros
* Juventude – Camisola Branca Sicasal

É com satisfação que a Federação Portuguesa de Ciclismo constata que as instituições que patrocinam as quatro camisolas oficiais da competição aliam a tradição à modernidade. A Camisola Amarela é apoiada pelo Turismo do Algarve, perfeita tradução do novo ciclismo, que, além de desporto, é uma actividade com forte impacto turístico, económico e social. A Camisola Vermelha é patrocinada pela Cofidis, uma marca de referência no ciclismo internacional. A Liberty Seguros, marca-âncora do ciclismo português na última década, patrocina a Camisola Azul. A Camisola Branca volta a atrair para o ciclismo profissional uma empresa com um passado de imensa dedicação à modalidade, a Sicasal.