Volta ao Algarve 2017: Sprinters e contra-relogistas reforçam pelotão

Volta ao Algarve 2017: Sprinters e contra-relogistas reforçam pelotão

O pelotão da 43ª Volta ao Algarve vai ficando mais recheado de figuras do ciclismo internacional, com destaque para contra-relogistas e sprinters de renome

55

À medida que vão chegando os boletins de inscrição das equipas, o pelotão da 43ª Volta ao Algarve, que vai disputar-se entre 15 e 19 de Fevereiro, vai ficando mais recheado de figuras do ciclismo internacional, com destaque para contra-relogistas e sprinters de renome.

A Trek-Segafredo irá apresentar-se no Algarve com a sua equipa das clássicas, na qual pontificam os velocistas John Degenkolb, vencedor de dez etapas na Vuelta, do Paris-Roubaix e do Milão-Sanremo, Jasper Stuyven, primeiro classificado na Kuurne-Bruxelas-Kuurne em 2016 e vencedor da Volta ao Alentejo em 2013, e Giacomo Nizzolo, actual campeão italiano de fundo.

Após o bom desempenho no Tour Down Under, o corredor português Rúben Guerreiro deverá ser a aposta da equipa dos Estados Unidos da América para a classificação geral. Marco Coledan, Koen de Kort, Mads Pedersen e Gregory Rast completam as escolhas do director desportivo Dirk Demol.

A Cannondale Drapac também chega dos Estados Unidos com capacidade para brilhar, apresentando na Volta ao Algarve duas das contratações mais sonantes para a época de 2017: o belga Sep Vanmarcke, especialista em clássicas que tem no Algarve o arranque de época tradicional, e Taylor Phinney, campeão dos Estados Unidos de contra-relógio, que poderá ser um dos candidatos à geral. O vice-campeão holandês de fundo, Wouter Wippert, será um dos nomes a ter em conta nas duas chegadas que se prevêem ao sprint e o irlandês Ryan Muller tem qualidade para bater-se pelas posições cimeiras no contra-relógio.

Alberto Bettiol, Sebastian Langeveld, Dylan Vanbaarle e Davide Villella compõem o efectivo da Cannondale Drapac para a 43ª Volta ao Algarve.

A equipa Manzana Postobón, baluarte do ciclismo ético na América Latina, estreia-se na Volta ao Algarve enquanto equipa Continental Profissional. Terá no português Ricardo Vilela o chefe-de-fila, sendo o colombiano Aldemar Reyes a esperança da equipa para a camisola da juventude, e o holandês Jetse Bol a aposta para as etapas planas.

O espanhol Antonio Piedra dá mais um toque europeu num contingente que se completa com quatro colombianos: Hernán Aguirre, Juan Molano, Hernando Bohórquez e Juan Osorio.

A Volta ao Algarve subiu, em 2017, à categoria 2.HC da União Ciclista Internacional, o patamar imediatamente abaixo do WorldTour. Será disputada por 25 equipas. Estarão presentes 12 dos 18 colectivos de primeira divisão existentes a nível mundial.

A corrida terá transmissão em directo da última hora de cada uma das etapas para 55 países e 68 milhões de lares. Em Portugal, o directo poderá ser visto no Eurosport 2 e na TVI24.

Equipas presentes

WorldTour
Astana (CAZ), Bora-hansgrohe (GER), Cannondale-Drapac (EUA), Dimension Data (RSA), FDJ (FRA), Katusha-Alpecin (SUI), Lotto NL-Jumbo (NED), Lotto Soudal (BEL), Movistar (ESP), Quick-Step Floors (BEL), Team Sky (GBR) e Trek-Segafredo (EUA).

Continental Profissional
Caja Rural-Seguros RGA (ESP), Cofidis (FRA), Gazprom-RusVelo (RUS), Manzana Postobón (COL), Roompot-Nederlandse Loterij (NED) e Wanty-Groupe Gobert (BEL)

Continental
Efapel, LA Alumínios-Metalusa, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto (POR), e Rally Cycling (EUA)

Percurso

1ª Etapa (15 Fev): Albufeira – Lagos, 182,9 km
2ª Etapa (16 Fev): Lagoa – Fóia (Monchique), 189,3 km
3ª Etapa (17 Fev): Sagres – Sagres (C/R Individual), 18 km
4ª Etapa (18 Fev): Almodôvar – Tavira, 203,4 km
5ª Etapa (19 Fev): Loulé – Malhão, 179,2 km