Volta a Portugal de Júniores 2017: Victor Ocampo sela vitória no Montejunto

Volta a Portugal de Júniores 2017: Victor Ocampo sela vitória no Montejunto

O ciclista colombiano Victor Ocampo ganhou hoje a 12ª Volta a Portugal de Júniores, impondo-se também na última etapa, uma viagem de 108,9 quilómetros, entre Torres Vedras e o alto de Montejunto

69

Volta a Portugal de Júniores 2017 - Montejunto - PódioO colombiano Victor Ocampo (Bairrada) ganhou hoje a 12ª Volta a Portugal de Júniores Liberty Seguros, impondo-se também na última etapa, uma viagem de 108,9 quilómetros, entre Torres Vedras e o alto de Montejunto.

A etapa foi bem disputada tacticamente, com as equipas a trabalharem para a conquista das classificações secundárias e a colocarem ciclistas em posição adiantada, integrando a numerosa fuga do dia, com mais de dezena e meia de corredores. Isso colocou os conjuntos menos activos em alerta, obrigando-os a desgastar-se nos trabalhos de perseguição.

A fuga foi anulada no sopé da subida de 5,5 quilómetros, que levou os corredores à meta, coincidente com uma contagem de montanha de primeira categoria. A subida fez a verdadeira selecção de valores. O colombiano Victor Ocampo defendeu a camisola amarela da melhor forma, impondo-se a todos os rivais.

Victor Ocampo cortou a meta na primeira posição, ao fim de 2h59m57s de corrida, menos 2 segundos do que Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), segundo classificado. O terceiro foi Afonso Silva (Sporting-Tavira), a 15 segundos.

O triunfo na etapa consolidou o primeiro lugar de Victor Ocampo na geral individual. O colombiano conquistou a Volta a Portugal de Júniores Liberty Seguros com 18 segundos de vantagem sobre Pedro Lopes e com 31 segundos sobre Afonso Silva, tendo o pódio da geral replicado o da etapa.

“Cumpri tudo o que me disse o meu treinador para fazer e contei com o esforço dos meus companheiros de equipa”, explicou Victor Ocampo, antes de dar um abraço emocionado ao director desportivo da Bairrada, Henrique Queirós.

O ciclista colombiano afirmou, no dia em que vestiu a camisola amarela, não ser grande trepador, numa manobra de ‘bluff’ que talvez tenha surtido efeito.

“É possível que os meus adversários tenham desvalorizado as minhas capacidades”, admite Victor Ocampo, que pratica ciclismo há 3 anos e tem em Rigoberto Urán o grande ídolo.

A consistência dos Bairradinos valeu-lhes o triunfo colectivo, além do individual. Afonso Silva conquistou a camisola da juventude, Francisco Pereira (Maia) impôs-se na classificação por pontos e Carlos Salgueiro (ACD Milharado/EC Manuel Martins) foi coroado rei dos trepadores.