Supertaça Espanhola: Real Madrid gere eliminatória com mais 2 golos e conquista...

Supertaça Espanhola: Real Madrid gere eliminatória com mais 2 golos e conquista novo troféu

O Barcelona só foi capaz de responder com remates de Leo Messi e Luís Suarez, mas apenas numa altura em que o Real se preocupava apenas em fazer "correr" o tempo

36

Real MadridO Real Madrid venceu o Barcelona, por 2-0, em jogo a contar para a 2ª Mão da Final da Supertaça Espanhola, disputado esta 4ª Feira no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid (Espanha).

Depois da vitória dos “merengues” por 3-1 no desafio da 1ª Mão, o técnico Zinedine Zidane aproveitou para “rodar” a equipa deixando de fora Isco e Gareth Bale, para além do castigado Cristiano Ronaldo, que esteve na bancada VIP com vários membros da sua família.

Do outro lado, Ernesto Valverde tentou “inovar” e apostou na táctica dos 3 centrais, dando a titularidade a André Gomes, enquanto o compatriota Nelson Semedo ficou no banco de suplentes.

Se a eliminatória já estava complicada para o Barcelona (o Real Madrid nunca perdeu uma eliminatória depois de vencer fora de portas por 2 ou mais golos de diferença), pior ficou quando Asensio voltou a marcar um grande golo, logo aos 4 minutos.

A precisar de marcar 3 golos para empatar e levar a decisão para o prolongamento e para as grandes penalidades, os catalães desistiram e deram a iniciativa do jogo ao adversário, que passou a dominar a seu bel-prazer.

Até ao intervalo, Lucas Vazquez (que jogou no lugar habitualmente ocupado por Cristiano Ronaldo) atirou ao poste, e Karim Benzema que dividiu com Vasquez as despesas do ataque marcou o 2º golo da noite, aos 39 minutos.

Na segunda metade, Ernesto Valverde lançou Nelson Semedo (aos 50 minutos) e voltou ao habitual esquema dos 4 defesas, que deu melhores resultados, embora nesta altura o Real Madrid já estivesse a descomprimir.

Leo Messi e Luís Suarez tiveram oportunidade para empatar a partida, mas fizeram o mesmo que Vazquez na primeira parte, ou seja, atiraram ao poste da baliza defendida por Kyelor Navas (não houve poupanças na posição de guarda-redes).

Até ao fim, o Barcelona limitou-se a trocar a bola a toda a largura do terreno, enquanto o Real Madrid também pouco ou nada se mexeu, pois estava conquistado mais um troféu para o clube madrileno.

A festa, no entanto, não teve o encanto das outras finais, pois o tamanho do troféu não é assim tão significativo, não houve medalhas para vencedores nem vencidos (e muito menos para a equipa de arbitragem) e o lançamento de confetes foi substituído por uma espécie de “fogo preso” e só no relvado (Sérgio Ramos e Marcelo receberam o troféu na tribuna VIP).

Os momentos de destaque da festa foram protagonizados por Cristiano Ronaldo, Cristianinho e um familiar de CR7 (um pouco mais novo que Cristianinho), que tiraram imensas “selfies” e ainda tiveram tempo para brincar um pouco com… Marcelo.