Super Seven by Kia 2017: Fim-de-semana de adversidades para Nuno Santos em...

Super Seven by Kia 2017: Fim-de-semana de adversidades para Nuno Santos em Vila Real

Apesar das dificuldades vividas na prova realizada no exigente circuito citadino, Nuno Santos acabou a sua prestação ao volante do 420R com um quinto lugar

44

Nuno Santos - Super Seven by Kia 2017 - Vila RealO início de época do Super Seven by Kia ficou marcado pelas inúmeras contrariedades que Nuno Santos sentiu ao longo de todo o fim-de-semana em Vila Real. Apesar das dificuldades vividas na prova realizada no exigente circuito citadino, o piloto acabou a sua prestação ao volante do 420R com um quinto lugar.

Dificilmente algo mais podia ter acontecido a Nuno Santos na jornada de abertura do Super Seven by Kia. Com a comitiva do mais competitivo troféu monomarca nacional a rumar a norte para uma exigente ronda nas ruas de Vila Real, cedo o piloto sentiu que não iria ter tarefa fácil. Logo nos treinos livres foi impedido de entrar para a pista. Um derrame de óleo com origem no carro de um adversário levou a direcção de corrida a interromper e a dar por terminada a sessão.

Sem qualquer experiência na versão de 2017 do traçado vila-realense, Nuno Santos partiu para a qualificação com o intuito, não só de conhecer a pista, como de obter um tempo que lhe permitisse ter ambição para a corrida.

“Mas a afinação utilizada não foi a certa e não consegui tirar partido do potencial do carro”.

A sair do sexto lugar, Nuno Santos tinha vontade de recuperar lugares. Mas se a jornada já não estava a correr bem, não ficou melhor.

“Nos procedimentos de pré-partida, não me sentia confortável no carro e decidi ajustar a bacquet. Mas ao fazê-lo, não ficou bem presa e, na travagem para a primeira chicane, esta mexeu-se. Ficou numa posição bastante recuada, o que me levou a ter de entrar nas boxes para resolver o problema. A partir daí já não havia muito a fazer. Atrasado e a correr sozinho, sem referências, não consegui aproximar-me do grupo da frente”, explicou o piloto.

“Acabou por ser um fim-de-semana em que poucas coisas correram bem. Mas não saio de Vila Real aborrecido ou chateado. Tanto eu como o Hugo [Araújo] sentimos que temos margem de progressão e acreditamos que isso vai ser evidente já na próxima ronda”, acrescentou Nuno Santos.

Cumprida a primeira das quatro jornadas que constituem o Super Seven by Kia 2017, os pilotos entram na pausa de Verão e regressam à competição em Setembro. A comitiva ruma a Jerez de La Frontera para correr nos dias 23 e 24 desse mês.