Sintra Portugal Pro 2017: Quatro bodyboarders portugueses chegam ao dia de todas...

Sintra Portugal Pro 2017: Quatro bodyboarders portugueses chegam ao dia de todas as decisões

O 5º e penúltimo dia do Sintra Portugal Pro terminou com as aspirações portuguesas no Open e no Dropknee, mas qualificou a campeã nacional Joana Schenker e a jovem promessa de 14 anos Madalena Padrela, para o último e decisivo dia da etapa do Mundial APB de Bodyboard.

36

Sintra Portugal Pro 2017O quinto e penúltimo dia do Sintra Portugal Pro terminou com as aspirações portuguesas no Open e no Dropknee, mas qualificou a campeã nacional Joana Schenker e a jovem promessa de 14 anos Madalena Padrela, para o último e decisivo dia da etapa do Mundial APB de Bodyboard.

Joana e Madalena juntam-se assim a Joel Rodrigues e Tomás Rosado, que competem nas meias-finais do Projúnior (sub-21), única categoria que ficou na areia ontem.

Mas o saldo do dia mais longo de competição de todo o campeonato, com 11 horas de bodyboard do mais alto nível, não foi totalmente feliz para os portugueses, com Miguel Coelho, André Bernardo e Miguel Adão a serem eliminados logo nas primeiras baterias da jornada da manhã, nos oitavos-de-final.

“Foi por pouco. Nos últimos dez segundos entrou uma nota para o Pierre Louis Costes e fui empurrado para terceiro lugar e, claro, eliminado. Foi bom o 9º lugar, mas fica um amargo porque, por momentos, ainda pensei nas meias-finais”, desabafou Miguel Adão.

As coisas melhoraram para as cores nacionais quando entraram os competidores de Dropknee na água, com Luís ‘Porkito’ Pereira a qualificar-se para os quartos-de-final. O bodyboarder da Figueira da Foz, campeão nacional da especialidade, viria a perder mais tarde com o havaiano Sammy Morretino, mas carimbou um excelente quinto lugar naquele que já é considerado o mais competitivo concurso de Dropknee do Sintra Portugal Pro de sempre.

O próprio Luís encarou a derrota frente a Morretino, um dos candidatos ao título mundial, de forma positiva.

“Estou contente. É um quinto lugar no Mundial, já tinha conseguido o quarto mas penso que o nível este ano é o melhor de sempre, por isso, estou satisfeito. Aliás, nenhum dos heats era fácil, mas penso que defrontei o homem que vai vencer o campeonato”.

Hoje, no Dropknee, decide-se o vencedor do Sintra Portugal Pro e o título mundial, com os havaianos Sammy Morretino, Dave Hubbard e o peruano César Bauer a lutarem pela coroa, com o francês Amaury Lavernhe como ‘intruso’ nas meias-finais.

Na competição feminina, Joana Schenker, que foi finalista do Sintra Portugal Pro do ano passado, não deixou os créditos em mãos alheias e passou aos quartos-de-final, em segundo, num heat ganho de forma impressionante pela japonesa Mayumi Tone, que somou 17 pontos (8,00 + 9,00) e que eliminou a também nipónica Natsuki Yokote.

Mas a grande surpresa veio da jovem Madalena Padrela, que passou em segundo lugar numa bateria ganha pela ex-campeã mundial Alexandra Rinder e ultrapassando a mais categorizada Valentina Diaz, do Chile.

Infelizmente para os portugueses, menos sorte teve a nazarena Teresa Almeida, que não resistiu à campeã mundial Isabela Sousa, do Brasil e à experiente japonesa Sari Ohara, e acabou arredada da competição.

Na competição Open, as meias-finais ficaram definidas, com o campeão mundial Pierre Louis Costes e o líder do ‘ranking’ Ian Campbell, da África do Sul, a protagonizarem uma final antecipada, enquanto o basco Alex Uranga e o brasileiro Uri Valadão se encontram na outra bateria de acesso à final.

Em suma, hoje será um dia pleno de motivos de interesse, com o título mundial de DK a ser entregue e a possibilidade de um triunfo português no feminino ou no projúnior.

Pode ver os resultados do dia aqui e acompanhar a competição em directo no site oficial.