Single Seater Series 2016: Pires e Jordão vencem em corridas alucinantes no...

Single Seater Series 2016: Pires e Jordão vencem em corridas alucinantes no Estoril

Duarte Pires alcança primeiro triunfo da carreira nas Single Seater Series. Gonçalo Jordão foi o melhor em corrida louca que encerrou o programa.

219

A segunda jornada das Single Seater Series registou um crescimento quantitativo e qualitativo da grelha. A primeira ronda, em Braga, ficou marcada por acesas lutas pelas melhores posições, a que se juntaram as instáveis condições climatéricas. No Estoril Iberian Festival, o desafio foi outro.

Perante uma lista de inscritos com 23 equipas, entre os quais alguns pilotos estreantes, as temperaturas elevadas tornaram a tarefa de quem saiu para a pista mais exigente. Foi perante condições difíceis para homens e máquinas que Duarte Pires, na primeira corrida, e Gonçalo Jordão, no segundo confronto do dia, se destacaram pela positiva com as vitórias e respectivas subidas ao lugar mais alto do pódio.

Ultimados os testes e as experiências durante os treinos livres que se realizaram pela manhã, a sessão de qualificação foi o primeiro tira-teimas do dia para os pilotos das Single Seater Series. Com as temperaturas já bem acima dos 30 graus centígrados, as dificuldades para tirar todo o potencial dos carros aumentaram. Foi neste contexto que José Pedro Faria obteve a pole-position. Duarte Pires piorou o tempo face ao registado nos treinos livres e ficou com o segundo posto à frente de Diogo Sousa, o terceiro mais rápido, e de Luís Calheiros Ferreira, que se revelou como o mais forte entre os rookies.

Com os três primeiros da grelha a ambicionarem o triunfo, antecipava-se uma primeira corrida escaldante. Foi isso mesmo que aconteceu em pista. José Pedro Faria arrancou na frente e durante os primeiros 10 minutos de confronto manteve o primeiro posto. Embora pressionado, o piloto de Amarante levava menos de 2 segundos para os seus adversários, que não davam tréguas. O comboio perseguidor contava com Duarte Pires, Diogo Sousa, Luís Calheiros Ferreira, Afonso Cidrais e Gonçalo Jordão.

Quando o monolugar da CRM se ressentiu com o calor sentido no circuito, Faria não teve argumentos para suster Duarte Pires, que o ultrapassou e obteve a primeira vitória da sua carreira nas Single Seater Series. Diogo Sousa ainda ultrapassou Faria mas acabou por ser ultrapassado na última volta e completou o pódio na Fórmula Zetec.

À procura de acompanhar os três da frente, Luís Calheiros Ferreira mostrou que as vitórias entre os rookies nas duas corridas de Braga não foram um golpe de sorte e obteve novo triunfo. André Castro Pinheiro repetiu o segundo lugar obtido na ronda realizada a norte, enquanto José Diéguez recuperou do que caracterizou como uma ‘catástrofe’ sofrida na jornada inaugural (não correu devido a problemas técnicos) e terminou em terceiro nesta classificação.

No final da corrida, Duarte Pires acreditava que só conseguiu acabar em primeiro “porque aconteceu alguma coisa [aos adversários] que os fez levantar o pé. Talvez as temperaturas elevadas nos carros”, afirmou.

De facto, o próprio piloto pensou que não iria alinhar na segunda corrida “porque o motor esteve muito tempo nos 120 graus centígrados”, e isso causou preocupação que não o impediu de celebrar “uma excelente vitória”, realçou.

Uma nota especial para Vasco Sampaio, que foi o melhor na categoria FKP, e para Rui Sanches, que se destacou na Super Tuga. Paulo Vieira triunfou nos VJ16, António Santos Mendonça venceu nos FK70 e Pedro Charais impôs-se na classe FV.

Na derradeira contenda das Single Seater Series no Estoril Iberian Festival, os pilotos alinharam na grelha consoante o resultado da primeira corrida. Mas com uma ausência. Os problemas de aquecimento no Mygale que tiraram competitividade a José Pedro Faria não foram solucionados em tempo útil e o piloto já não alinhou. Sem adversário para partilhar o lugar na primeira fila, Duarte Pires não teve, porém, tarefa fácil.

Com as temperaturas mais baixas, as equipas elevaram ainda mais o nível competitivo e protagonizaram um excelente espectáculo de final de tarde. Na partida, Diogo Sousa arrancou forte e passou para a frente. Entretanto, Gonçalo Jordão, que era quarto, começou a pressionar Luís Calheiros Ferreira até entrar nos lugares do pódio. Mas as trocas de posição não se ficaram por aqui. Duarte Pires voltou ao primeiro lugar para, mais tarde, o ceder a Jordão.

E até ao final, os dois ainda trocaram de posição. Quando faltava uma volta, Pires tentou ser primeiro, mas não conseguiu e acabou mesmo por perder o segundo posto para Diogo Sousa e o terceiro para Luís Calheiros Ferreira.

Depois da vitória em Braga, Gonçalo Jordão voltou a ganhar.

“Foi um fim-de-semana que correu mal. Tivemos um imprevisto no motor que nos obrigou a prepará-lo à última hora. Sentimos dificuldades ao longo do dia, agravadas pelo calor que tornou os carros muito quentes. Nesta corrida, e depois de ficar em primeiro, tentei aguentar até ao fim”, esclareceu.

No segundo posto, Diogo Sousa enalteceu “a importância do resultado para o campeonato”.

“Foi uma corrida extenuante. Este carro é mais antigo e o resultado só foi possível devido ao trabalho feito com a equipa”, afirmou.

Luís Calheiros Ferreira estreou-se num pódio à geral, resultado que considera de “fantástico”. Para além disso, voltou a vencer entre os rookies. Deixou João Silva em segundo e André Castro Pinheiro em terceiro.

Destaque ainda para Miguel Lobo que mostrou a sua rapidez já evidenciada em Braga. O piloto estabeleceu a melhor volta mas ficou pelo caminho com problemas mecânicos.

Vasco Sampaio voltou a ser o mais forte na categoria FKP e Rui Sanches repetiu o lugar mais alto do pódio na Super Tuga. Paulo Vieira também triunfou entre os VJ16, António Santos Mendonça venceu nos FK70 e Pedro Charais impôs-se na classe FV.

As Single Seater Series fazem uma pequena pausa durante o mês de Agosto e regressam em Setembro com a terceira jornada, nos dias 10 e 11, no circuito espanhol de Jerez de La Frontera.