Silk Way Rally 2017: Segunda etapa na China muito dura para o...

Silk Way Rally 2017: Segunda etapa na China muito dura para o Team Petronas De Rooy Iveco

O piloto cazaque Artur Ardavichus alcançou, mais uma vez, o melhor resultado para a equipa, sendo o 7º mais rápido na Etapa de ontem com o seu IVECO Powerstar

34

Artur Ardavichus - Silk Way Rally 2017 - 9ª EtapaFoi uma longa jornada para o Team PETRONAS De Rooy: 813,89 km entre Urumqi e Hami, com 421 km cronometrados em dunas e pisos duros e pedregosos. O piloto cazaque Artur Ardavichus alcançou, mais uma vez, o melhor resultado para a equipa, sendo o 7º mais rápido na Etapa de ontem com o seu IVECO Powerstar.

Depois de um merecido dia de descanso em Urumqi, no Domingo passado, o Team PETRONAS de Rooy IVECO voltou ontem (Segunda-feira) à acção nesta edição 2017 do Silk Way Rally. Artur Ardavichus deixou o bivouac bem cedo pela manhã, pelas 07h36, saindo à frente dos seus colegas de equipa.

Conduzindo cautelosamente o seu IVECO Powerstar, terrminou a 9ª Etapa, entre Urumqi e Hami, numa posição bastante confortável.

“Foi uma jornada muito dura. A Etapa foi muito difícil, com dunas e muitas pedras. Para chegar ao fim foi preciso conduzir não muito depressa mas também não muito devagar. De outra forma, acho que nem todos os camiões tinham chegado ao final da Etapa”, referiu Artur Ardavichus, que se mantém firme no 5º posto da Classificação Geral.

O chefe da equipa Gerard De Rooy cortou a linha de chegada na 10ª posição.

“Infelizmente, logo 2 quilómetros após a partida partimos um amortecedor, mas tentámos continuar. Nas dunas tivemos um furo e perdemos imenso tempo, pois a areia era muito mole e tornou tudo mais difícil. Amanhã [hoje, 3ª Feira] vamos tentar fazer um bom tempo a caminho da próxima zona de dunas”. O Powerstar #302 de De Rooy ocupa a 14ª posição da geral provisória.

A 9ª Etapa também foi muito dura para o terceiro piloto do Team PETRONAS De Rooy IVECO, o holandês Ton Van Genugten. Ao volante do seu camião Trakker, acompanhado de Marco Alcaya Ferran e Bernard den Kinderen, terminou o dia no 12º lugar e manteve o seu 8º lugar na geral. Nesta Etapa, Van Geugten conduziu com bastante precaução e perdeu algum tempo para ajudar De Rooy a mudar um pneu.

A Etapa de hoje, dia 18 de Julho, é a terceira em solo chinês e começa com pisos bastante rápidos. Depois, as pistas tornam-se mais técnicas e lentas, com muitas mudanças de direcção. Nas Grutas de Mogao, famosas pelas suas ‘492 capelas’, os concorrentes encontram secções bastante rápidas enquadradas numa paisagem deslumbrante.

Ao longo da parte final da Etapa, a pista segue ao longo de lago seco e não se encontra sempre bem visível, pelo que é fácil sair do percurso se não forem seguidas correctamente as notas de navegação. A Etapa tem 513,53 km, dos quais 360,28 cronometrados.

Classificação Geral (provisória) do Silk Way Rally 2017 (após a 9ª Etapa)

1º Dmitry Sotnikov (Kamaz) 27h50m00s
2º Anton Shibalov (Kamaz) +14m27s
3º Airat Mardeev (Kamaz) +26m30s
4º Martin Kolomy (Tatra) +31m30s
5º Artur Ardavichus (IVECO) +1h43m59s

8º Ton Van Genugten (IVECO) +7h52m23s

14º Gerard De Rooy (IVECO) +214h56m39s