Silk Way Rally 2017: Peterhansel vence 9ª Etapa, Despres é o novo...

Silk Way Rally 2017: Peterhansel vence 9ª Etapa, Despres é o novo líder

Sébastien Loeb / Daniel Elena, no Peugeot DKR Maxi #104, tiveram uma saída de estrada ao km 82, após bater numa vala, nas imediações de um oued

36

Stéphane Peterhansel - Silk Way Rally 2017 - 9ª EtapaApós a curta jornada de descanso de ontem em Urumqi (China), o ‘Dream Team’ Peugeot regressou à acção esta manhã, com os Peugeot DKR e o Peugeot DKR Maxi inteiramente revistos, prontos a iniciar a segunda semana de competição do Silk Way Rally. A Etapa nº 9 provou ser particularmente difícil, com nada menos do que 4 horas intensas contra o cronómetro, sobre 50 km de areia e 370 km em pisos de terra muito demolidores.

Coube à dupla Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret, no Peugeot DKR #106, vencer a Especial do dia, obtendo, assim, a 8ª vitória em Etapas para a Peugeot em 9 possíveis desde a partida da prova.

Já Cyril Despres/David Castera, no Peugeot DKR #100, foram os 5ºs mais rápidos, mas viriam a assumir o 1º lugar da prova. Têm cerca de 44 minutos de vantagem sobre os seus mais directos perseguidores, permitindo que o Team Peugeot Total mantenha uma ininterrupta liderança desde o 1º dia desta demolidora prova, cuja partida teve lugar em Moscovo.

Quanto a Sébastien Loeb / Daniel Elena, no Peugeot DKR Maxi #104, tiveram uma saída de estrada ao km 82, após bater numa vala, nas imediações de um oued.

A Etapa em resumo

A 9ª Etapa do Silk Way Rally não poupou o Team Peugeot Total. Do programa de 813 km, entre Urumqi e Hami, constavam 421 km cronometrados, num dia que não começou de modo auspicioso, pois a partida dos primeiros carros atrasou 40 minutos devido a um erro no cálculo do tempo do percurso de ligação.

Entrando para a Especial como líder da geral, com mais de uma hora de avanço, Sébastien Loeb foi vítima dum acidente, quando se afastou alguns metros do percurso estabelecido, sob o leito seco de um rio, atingindo violentamente uma vala, tendo danificado muito o seu Peugeot DKR Maxi. Feitas as reparações possíveis, Loeb voltou à estrada mais de uma hora e meia depois, rolando com um chassis fortemente afectado, tal como o próprio habitáculo. Voltaria depois a parar ao km 172 e ao km 214, mesmo com as ajudas do camião de assistência que a Peugeot inscreve na prova.

Vencedor há um ano, Cyril Despres assumiu, assim, a liderança da prova, sem conhecer qualquer problema na Etapa. Stephane Peterhansel assinou o melhor tempo do dia, sendo agora o 7º classificado na categoria Auto e o 11º da Geral (incluindo os Camiões).



Comentários

Bruno Famin, Director do Team Peugeot Total
“No momento, não temos muitas informações sobre a situação do Sébastien e do Daniel, excepto que estão bem de saúde. Sabemos que ainda têm muitos quilómetros pela frente e que o carro está muito danificado, pelo que só quando entrarem no acampamento podemos dizer algo mais.

Em qualquer dos casos, o que aconteceu hoje é parte da corrida, sendo exactamente o tipo de coisas que acontecem num rali tão difícil quanto o Silk Way Rally. Positivo é o facto de continuarmos a ter um Peugeot na liderança, agora através do Cyril, e de termos conquistado mais uma vitória em Etapas, através do Stéphane. O que aconteceu hoje é mais uma prova de que tudo é possível e nada está garantido. Com um único carro na liderança, a estrada até Xi’an vai-nos parecer muito mais longa; dado que as Especiais desta semana são particularmente difíceis prefiro não fazer qualquer prognóstico”.

Stéphane PETERHANSEL, Piloto Team Peugeot Total (Vencedor da Etapa / 7º da Geral – autos)
“O percurso de hoje foi completamente diferente da que tínhamos visto na primeira parte da prova, com muito off-road e armadilhas muito semelhantes às que conheço de provas em África. Usei, por isso, as tácticas que acumulei com a minha experiência. Foi pena ver o que aconteceu ao Sebastian, que pagou muito caro um pequeno erro. Mas é a realidade desta disciplina, não sendo surpreendente.

É só estranho, pois começámos o rali com três carros muito fortes e agora só temos um em posição de vencer a prova, a alguns dias do seu final. Mas a Peugeot mantêm-se na liderança e a equipa está focada num único objectivo: chegar a X’ian no 1º lugar. Agora há que ficar ao lado do Cyril e ajudá-lo a vencer”.

Cyril DESPRES, piloto Team Peugeot Total (2º lugar na Etapa / 1º da Geral)
“A Especial foi muito difícil, em todos os sentidos do termo, com valas, lombas e zonas muito frágeis no leito de um rio… Houve de tudo e estávamos sempre a ser sacudidos. À luz das circunstâncias, decidi, junto com o David, não correr riscos. É ainda mais difícil concentrarmo-nos quando vemos um dos nossos companheiros parado fruto de um acidente.

Ainda conseguimos manter um bom ritmo, mesmo se nos perdemos numa parte da Especial, tendo encontrado o Stéphane quando andávamos à procura da pista ideal. O facto de estarmos esta noite na liderança não muda a nossa estratégia. Nada está assegurado, pelo que vamos continuar a rolar de forma inteligente”.

Antevisão da 10ª Etapa

Amanhã (Terça-feira, dia 18 Julho), os concorrentes saem de Hami rumo a Dunhuang, numa Etapa de 517 quilómetros, 360 dos quais da Especial. Se a parte inicial será extremamente rápida, a estrada torna-se depois mais lenta e técnica, com várias mudanças de direcção. A navegação será muito difícil na última parte de uma Especial disputada ao longo de um lago salgado.

Classificação Geral do Silk Way Rally 2017 (após a 9ª Etapa)

1º DESPRES Cyril (FRA), Peugeot 3008 DKR, 26:31:17
2º HAN Wei (CHN), GEELY SMG BUGGY, a 44:12
3º MENZIES Bryce (USA), Mini John Cooper Works Rally, a 51:23
4º LAVIEILLE Christian (FRA), Baicmotor BJ40L, a 52:34
5º SOTNIKOV Dmitry (RUS), Kamaz 43509, a 01:18:43

11º PETERHANSEL Stéphane (FRA), Peugeot 3008 DKR, a 02:29:51 (nota: 7º “Auto”)