Santino Ferrucci regressa aos testes de F1 com o VF-17 da Haas...

Santino Ferrucci regressa aos testes de F1 com o VF-17 da Haas F1 Team no Hungaroring

O piloto americano Santino Ferrucci começou ontem (Terça-feira) a sua segunda experiência na Fórmula 1 ao pilotar o Haas VF-17 no primeiro dos dois dias de testes que decorrem em Hungaroring (Hungria)

115

VF-17 da Haas F1 TeamO piloto americano Santino Ferrucci começou ontem (Terça-feira) a sua segunda experiência na Fórmula 1 ao pilotar o Haas VF-17 no primeiro dos dois dias de testes que decorrem em Hungaroring (Hungria). Todas as equipas que competem no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 marcaram presença.

O piloto de dezanove anos de Woodbury, Connecticut, é o piloto de desenvolvimento da Haas F1 Team e testou pela Haas F1 Team em Julho de 2016, em Silverstone (Inglaterra). Então, Ferrucci tornou-se no primeiro americano a pilotar um carro de Fórmula 1 americano desde que a 9 de Outubro de 1977 Danny Ongais pilotou um Penske PC4 no Grande Prémio do Canadá, em Mosport International Raceway, em Bowmanville, Ontario.

A Fórmula 1 dita que dois dias dos testes realizados durante a temporada têm que ser alocados a jovens pilotos, estando nestas condições todos os pilotos que tenham competido no máximo em dois Grandes Prémios. Os pilotos titulares da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen participaram no teste de 18 e 19 de Abril, que teve lugar no Bahrain International Circuit, em Sakhir, o que os impede de participar no teste desta semana.

Ferrucci competiu no passado fim-de-semana em Hungaroring no Campeonato FIA de Fórmula 2 com a Trident. No seu primeiro contacto com um carro de Fórmula 1, Ferrucci qualificou-se apenas a 0,408s da pole-position, garantindo o décimo posto, para depois assegurar alguns pontos, ao terminar a corrida de Sábado no nono posto. Ferrucci estreou-se na Fórmula 2, depois de ter disputado a temporada de 2016 da GP3 Series e de ter realizado as seis primeiras corridas de GP3 deste ano com a DAMS.

Ferrucci foi o primeiro piloto a sair para a pista de 4,381 quilómetros, quando o semáforo da box passou a verde, às 9h00, hora local. Começou por realizar algumas voltas de reconhecimento, usando pneus Pirelli P Zero Branco/Médio, seguindo-se duas séries de dez e nove voltas com o mesmo tipo de pneus.

A meio da sessão, Ferrucci montou pneus macios, registando trinta e três voltas, usando três novos jogos de pneus até à uma hora da tarde, que iniciou a pausa de almoço. Como melhor volta durante a manhã, Ferrucci marcou o registo de 1m21,654s na sua quadragésima-quarta passagem pela linha de meta.

Durante a tarde, Ferrucci usou exclusivamente pneus macios, completando quarenta e sete voltas num programa em que usou borrachas novas e usadas. Duas pequenas séries de voltas com pneus usados foram seguidos de duas séries de oito voltas com pneus frescos. Foi numa destas que Ferrucci assegurou a sua melhor marca do dia, 1m21,185s, na sua octogésima volta, o que o colocou no décimo lugar, entre doze pilotos. Ferrucci terminou o dia com mais três voltas com pneus macios usados, completando cento e duas no total.

Charles Leclerc, da Scuderia Ferrari, realizou a melhor marca, 1m17,746s, tendo Valtteri Bottas registado o maior número de voltas, 155.

“Esta manhã tive algumas dificuldades para me ajustar ao carro. É muito diferente de qualquer outra coisa, especialmente do carro de Fórmula 2. Levou-me três ou quatro séries até me sentir adaptado e satisfeito com o carro. À tarde, fizemos algumas alterações. No final do dia, pude atacar um pouco mais e trabalhar mais na minha pilotagem e sinto que estou a usar noventa e cinco porcento do carro. Estou ansioso por experimentar os pneus supermacios amanhã[hoje] e realizar algumas simulações de qualificação”, comentou Santino Ferrucci.