Rio’2016: Super-bactéria preocupa Brasil a cerca de 15 dias do inicio do...

Rio’2016: Super-bactéria preocupa Brasil a cerca de 15 dias do inicio do evento

A super-bactéria já tinha sido detectada em 2014, mas como nada foi feito as provas aquáticas do Rio'2016 podem colocar em risco a saúde dos atletas

235

As praias da Zona Sul do Rio de Janeiro, no Brasil, continuam infectadas por uma super-bactéria, segundo um estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A questão já tinha sido levantada o mês passado pela Globo, e cerca de 30 dias depois a CNN revela que tudo continua na mesma, situação que está a preocupar as autoridades sanitárias.

A super-bactéria é resistente aos medicamentos e antibióticos mais poderosos existentes no Brasil, e está presente nos locais onde se vão realizar as provas de Vela, Remo, Canoagem, Natação e Triatlo.

As amostras recolhidas em 2014 e divulgadas agora revelam a presença de Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase (KPC) em praias muito conhecidas, como por exemplo, Flamengo, Botafogo, Copacabana, Ipanema e Leblon.

Em declarações à imprensa brasileira, a pesquisadora Renata Picão referiu que a presença da super-bactéria deve-se à poluição e a um ineficaz sistema de saneamento básico, nomeadamente nas zonas mais pobres.

Picão disse ainda que a pesquisa foi feita em 2014, mas o problema mantém-se ou até pode ter sido agravado, pois nada foi feito para resolver o problema, apesar dos vários avisos das autoridades sanitárias.