Renault confirma o seu domínio com 3 vitórias consecutivas na Fórmula E

Renault confirma o seu domínio com 3 vitórias consecutivas na Fórmula E

Na primeira temporada, a Renault e.dams venceu o título de equipas, repetindo a façanha no ano seguinte e reafirmando a sua supremacia vencendo consecutivamente um terceiro título na última corrida em Montreal.

53

Renault e.dams - Fórmula E 2017 - CanadáNa primeira temporada, a Renault e.dams venceu o título de equipas, repetindo a façanha no ano seguinte e reafirmando a sua supremacia vencendo consecutivamente um terceiro título na última corrida em Montreal. Já Sébastien Buemi perdeu o título de pilotos no primeiro ano por apenas um ponto, mas foi consagrado no ano seguinte na final em Londres, após uma corrida alucinante.

Este ano, a Renault e.dams conseguiu vencer mais uma vez, graças ao recorde de 6 vitórias em 12 corridas, sendo a única escuderia a marcar pontos em todas as corridas. Batalhando novamente pelas duas coroas, a equipa e Sébastien Buemi vencem logo na prova de abertura, em Hong Kong. Novos sucessos aconteceram em Marrakesh e Buenos Aires.

A Renault e.dams e o piloto suíço continuaram a trajectória de vitória no Mónaco, onde o piloto suíço largou da pole-position, a sua primeira na temporada, mantendo-se imbatível no traçado do principado. Na semana seguinte, em Paris, o líder do campeonato ofereceu a primeira vitória à Renault e.dams em casa. Ele conquistou uma nova vitória na segunda corrida de Berlim, a 6ª em 8 corridas.

Nico Prost sempre ajudou a equipa a aproximar-se do título, conseguindo valiosos pontos a cada etapa e tornando-se o único piloto a realizar tal façanha.

A corrida pelo título de pilotos mostrou-se bastante apertada na final de Montreal, pois apenas 18 pontos separavam Sébastien Buemi do seu rival, Lucas Di Grassi, antes da última corrida. No Sábado, a equipa teve um dia extremamente difícil com o acidente de Sébastien nos treinos livres e a sua desclassificação naquela noite, mas a falta de sorte repetiu-se no dia seguinte, com uma corrida complicada para os dois pilotos.

Pioneira e líder europeia em veículos eléctricos, desde 2013 a Renault participa oficialmente como parceira técnica do novíssimo campeonato de monopostos 100% eléctricos, a Fórmula E. O envolvimento da Renault vai mais longe, ao tornar-se patrocinadora oficial da escuderia e.dams, de Alain Prost e Jean-Paul Driot, antes do início da primeira temporada que aconteceu em Pequim, em Setembro de 2014.

Com esta parceria, a Renault investe plenamente numa categoria completamente inédita e bastante inovadora, com o desejo de valorizar o seu know-how tanto no automobilismo desportivo como em veículos eléctricos. O envolvimento e o sucesso na categoria são indiscutivelmente aceleradores do desenvolvimento da sua gama de veículos eléctricos. Este ano, a Renault apresentou o ZOE e-sport concept no Salão do Automóvel de Genebra, uma versão turbinada do seu modelo icónico, que é resultado das tecnologias da Fórmula E.

A Fórmula E é um campeonato inovador, com uma estratégia colaborativa com os seus fãs, por meio de corridas organizadas nos centros das maiores metrópoles. A Fórmula E conta com a participação de montadoras de primeira linha, o que demonstra a sua seriedade. O anúncio da chegada de outras montadoras, como Porsche e Mercedes para as temporadas 5 e 6, confirma o valor desta categoria no futuro.

A Renault e.dams, que tem presença marcada na próxima temporada, para novas emoções e novos sucessos, conquistou um total de 268 pontos, que culminaram com a sua terceira consagração. Sébastien tem um total de 157 pontos e 6 vitórias e Nico tem 92 pontos.

Comentários

Alain Prost, coproprietário da escuderia
“Em primeiro lugar, desejo cumprimentar Jean-Eric Vergne pela sua primeira vitória na Fórmula E, assim como os outros pilotos e Lucas Di Grassi, por ter vencido o campeonato de pilotos. Viemos para ganhar os dois títulos hoje, mas isso acabou jogando contra a nossa sorte. O campeonato está a cada dia mais competitivo e difícil. Estamos muito felizes por ter vencido o título de equipas pela terceira vez consecutiva.

O espectáculo e o entusiasmo deste fim-de-semana foram excepcionais, e nós corremos num dos melhores circuitos da temporada. Todo o mundo estava muito feliz de estar aqui. Quero agradecer a todos nossos parceiros pelo apoio, especialmente a Renault. Encontro marcado para o próximo ano para, assim espero, conquistar novos sucessos”.

Jean-Paul Driot, coproprietário da escuderia
“Para mim, o fim-de-semana de corrida em Montreal foi um dos mais difíceis de toda minha carreira como coproprietário da equipa, mas quero dar os parabéns a toda a equipa de mecânicos pelo trabalho incrível que realizaram para permitir que o Sébastien Buemi continuasse na luta pelo título, apesar da maior colisão já ocorrida para um carro de Fórmula E durante as três últimas temporadas.

Estamos muito satisfeitos por vencer o campeonato de equipas pela terceira vez em três temporadas. Espero que não haja mais conflitos de datas com outros campeonatos no futuro, para que a equidade desportiva seja sempre respeitada”.

Jérôme Stoll, Presidente da Renault Sport Racing
“Quando a Renault entrou para a Fórmula E desde o início, queríamos vencer e inovar, como fazemos sempre. Vencer três títulos em três temporadas é absolutamente excepcional. Quero cumprimentar toda a equipa pelo trabalho feito durante toda a temporada. O nível aumenta a cada ano, mas graças às suas competências inigualáveis em tecnologias eléctricas, a Renault continua mais do que nunca líder da Fórmula E. Estaremos presentes na próxima temporada para manter o nosso título e tentar novamente a dobradinha com o título de pilotos”.

Nico Prost, #8
“Esta não foi uma temporada fácil. Tive dificuldades nos treinos classificativos durante toda a temporada e não estou satisfeito com o meu sexto lugar no campeonato. Saímos de Montreal com o título de equipas, o que era um dos dois objectivos, e agora daremos o nosso melhor para voltar mais fortes no próximo ano”.

Séb Buemi, #9
“Estou contente pela equipa, eles mereceram este título. O carro foi muito bom durante todo a ano. Infelizmente, a final não terminou bem para mim, mas faz parte do jogo e é preciso aceitar isso. Cabe-nos aprender com os nossos erros e voltar mais fortes no próximo ano”.