Red Bull Cliff Diving: Regresso à Casa da Ópera em Copenhaga

Red Bull Cliff Diving: Regresso à Casa da Ópera em Copenhaga

51

Depois de um intervalo de um ano, o Red Bull Cliff Diving World Series regressa no próximo fim-de-semana (20 de Junho) à Dinamarca. O cenário é um dos mais invulgares de todo o circuito, já que a elite mundial vai saltar do telhado da Casa da Ópera – a 27 metros de altura e com vista para o palácio real. Artem Silchenko é a referência desta etapa com o salto mais pontuado de sempre e parte como favorito.

Assinalando o meio da época, a quarta etapa do Red Bull Cliff Diving World Series regressa no próximo fim-de-semana (20 de Junho) à capital dinamarquesa depois de um ano de interregno. O cenário é o mais invulgar possível, com toda a acção centrada no telhado da Casa da Ópera de Copenhaga – uma referência da arquitectura contemporânea. Dos 27 metros de altura da plataforma os atletas têm uma vista privilegiada sobre o palácio real e a famosa igreja de mármore branco, enquanto na água centenas de embarcações dos mais variados tamanhos dão um colorido especial.

Apesar das águas frias, os resultados aqui registados no passado deixaram uma forte marca: em 2013 Artem Silchenko recebeu quatro notas 10 do júri e entrou na história do circuito com o melhor score de sempre para um único salto (183 pontos). Por isso, o russo figura entre os favoritos para esta etapa, um estatuto que é reforçado pelo terceiro lugar alcançado recentemente no Texas.

Silchenko tem como missão a difícil tarefa de destronar o britânico Gary Hunt, que venceu todas as etapas disputadas até ao momento, caminhando desta forma com tranquilidade para o seu quinto título mundial. Mantendo o seu potencial intocado, o colombiano Orlando Duque continua aos 40 anos a ser a referência maior do Cliff Diving. Além dos três ‘suspeitos’ do costume – Hunt, Silchenko e Duque – destaque ainda para a nova geração de saltadores que tem em David Colturi (EUA) e Blake Aldridge (UK) os seus mais brilhantes representantes.

Portugal continua no mapa do circuito, com a competição a regressar em Julho ao ilhéu de Vila Franca do Campo, nos Açores.