Red Bull Cliff Diving 2017: Etapa dos Açores em contagem decrescente

Red Bull Cliff Diving 2017: Etapa dos Açores em contagem decrescente

O regresso aos Açores acontece pelo sexto ano consecutivo e promete grandes emoções, seja a partir das plataformas de 27 e 21 metros, seja com saltos directamente das rochas

46

Red Bull Cliff Diving - AçoresEvocando as origens de uma modalidade nascida no Havai há mais de 200 anos, o ilhéu de Vila Franca do Campo recebe no fim-de-semana de 8 e 9 de Julho a segunda etapa de 2017 do Red Bull Cliff Diving World Series. O regresso aos Açores acontece pelo sexto ano consecutivo e promete grandes emoções, seja a partir das plataformas de 27 e 21 metros, seja com saltos directamente das rochas.

Com a competição organizada pela primeira vez ao longo do fim-de-semana, as primeiras rondas decorrem no Sábado e as finais no Domingo – 8 e 9 de Julho – o Red Bull Cliff Diving World Series está de regresso aos Açores pelo sexto ano consecutivo. Numa época mais compacta composta por seis etapas, o ilhéu de Vila Franca do Campo – situado na ilha de São Miguel, a menos de um quilómetro da cidade com o mesmo nome – destaca-se pelas suas paisagens selvagens e intactas. E também por ser o único destino da temporada onde os atletas têm a oportunidade de saltar directamente das rochas, um desafio que evoca as origens da modalidade e que vem acrescentar um patamar de dificuldade adicional.

Os 22 atletas, de nove países, prometem mostrar os mais complexos e exuberantes saltos da modalidade proposta pela FINA – Federação Internacional de Natação – para os Jogos Olímpicos de 2020. Depois da saída da plataforma de 27 (masculinos) ou 21 metros (femininos) – ou directamente da rocha de uma altura idêntica – o encontro com as águas do oceano dá-se em menos de três segundos, correspondendo a uma aceleração próxima da registada por um Fórmula 1.

O circuito mundial conta este ano com um novo Director Desportivo, o norte-americano Greg Louganis, lenda do desporto que é o mais bem-sucedido atleta de saltos para a água de todos os tempos. Tal como no ano passado, o grupo integra atletas masculinos e femininos – entre elementos do quadro permanente e ‘wildcards’.

Cumprida a primeira etapa do calendário (Irlanda), há dois nomes que se destacam desde já. Em masculinos quem lidera é o hexacampeão Gary Hunt, uma referência que também venceu no ano passado nos Açores. Na mesma lógica, a australiana Rhiannan Iffland – a sensação de 2016 (foi a primeira atleta wildcard a chegar ao título na sua primeira época) começou igualmente o ano a ganhar.

Domingo (9 Julho) a acção das finais vai poder ser acompanhada a partir das 13h30 (hora de Portugal continental) através da transmissão televisiva em directo da Red Bull TV em https://www.redbull.tv/live/AP-1RZDU6T5W2111/red-bull-cliff-diving-world-series.