Red Bull Cliff Diving 2016: Terceira etapa nos Açores, dia 9 de...

Red Bull Cliff Diving 2016: Terceira etapa nos Açores, dia 9 de Julho

O encontro acontece novamente num cenário de natureza intacta, com o ilhéu de Vila Franca do Campo, ao largo de São Miguel, a servir de rampa de lançamento

271

Quatro anos depois da entrada no Red Bull Cliff Diving World Series, os Açores conquistaram já um estatuto de clássico do calendário – destacando-se não só pelo cenário de natureza intacta, como também por ser a única etapa onde se salta directamente das rochas. Dia 9 de Julho os melhores atletas do mundo regressam ao ilhéu de Vila Franca do Campo para viver esta experiência única. O mexicano Jonathan Paredes – o líder do circuito – parte motivado para voar alto no seu ‘spot’ preferido.

No próximo dia 9 de Julho os Açores recebem, pelo quinto ano consecutivo, mais uma competição do Red Bull Cliff Diving World Series. Assinalando a terceira etapa da época para o sector masculino e a segunda para o feminino, o encontro acontece novamente num cenário de natureza intacta – com o ilhéu de Vila Franca do Campo, ao largo de São Miguel, a servir de rampa de lançamento para um desporto de elite com números impressionantes: sem qualquer tipo de sistema de protecção, os atletas lançam-se rumo ao oceano a velocidades acima dos 85 km/hora, com uma aceleração próxima de um F1. A paragem açoriana destaca-se das restantes oito do calendário por ser a única onde os atletas têm oportunidade de saltar directamente das rochas, o que está em perfeita sintonia com as origens da modalidade.

Jonathan Paredes chega aos Açores na condição de líder, decorridas que estão duas etapas. O mexicano de 26 anos, um dos mais jovens do circuito mundial, começou o ano com o pé direito com uma vitória no Texas (EUA) e com um segundo lugar em Copenhaga. No ano passado foi também segundo classificado em Portugal, atrás do pentacampeão Gary Hunt – que é neste momento o seu mais directo perseguidor. Paredes assumiu publicamente que o ilhéu de Vila Franca do Campo é um dos seus ‘spots’ preferidos para saltar, antevendo-se assim uma disputa intensa para a quinta competição açoriana. Um total de 14 atletas masculinos – 10 do quadro permanente e 4 wildcards – vão dar o seu melhor a saltar das rochas e da plataforma montada a 27 metros de altura.

Para os femininos, os Açores são a segunda etapa do ano – depois da estreia no Texas. Seis atletas do quadro permanente e três wildcards vão saltar também directamente das rochas e da plataforma montada a 20 metros de altura. A época de 2016 começou mal para a Campeã Rachelle Simpson, que foi batida pela wildcard australiana Rhiannan Iffland e não foi além do sexto lugar numa abertura que decorreu em ‘casa’. Já a sua compatriota Cesilie Carlton regressa aos Açores com a confiança de ter sido a primeira a vencer, no ano passado, neste cenário.

A acção será transmitida em directo a partir das 11:20h (12:20h no continente), na Red Bull TV em www.redbull.tv, com acesso gratuito através das mais diversas plataformas, no site oficial do evento em www.redbullcliffdiving.com e na SIC Radical.

Provavelmente tão antigos como a própria humanidade, os saltos para a água de grandes alturas foram pela primeira vez registados há cerca de 250 anos, quando a frota do britânico James Cook passou pelas ilhas do Havai. Os historiadores são unânimes em reconhecer que esta actividade estava relacionada com ritos de iniciação à vida adulta, um acto de coragem que foi inaugurado pelo próprio rei de Maui.

Nos anos 80 do século passado começaram a ser organizadas as primeiras competições de Cliff Diving. No entanto, foi apenas em 2009 que nasceu o primeiro circuito mundial da modalidade – o Red Bull Cliff Diving World Series – criando pela primeira vez normas claras reconhecidas pela entidade que tutela este desporto: a Federação Internacional de Natação (FINA). Com diferentes graus de dificuldade, os saltos são apresentados em quatro rondas para os Homens e três para as Senhoras, sendo avaliados numa escala de 1-10 por um júri de cinco elementos. O atleta que soma o maior número de pontos vence a etapa. Os Açores integram o calendário desde 2012.

Red Bull Cliff Diving Series – O Videojogo

Esta temporada, os fãs dos saltos para a água de grande altura não vão ficar apenas espantados com as mais exuberantes manobras dos seus heróis. Graças ao novo videojogo Red Bull Cliff Diving World Series vão poder também viver as emoções deste desporto, escolhendo os seus atletas preferidos e também as etapas mais vibrantes – incluindo as escarpas do ilhéu de Vila Franca do Campo, ao largo de São Miguel, nos Açores. Disponível para várias plataformas, este videojogo é gratuito em www.redbullcliffdiving.com/game.

Classificação Geral do Red Bull Cliff Diving 2016

Masculinos (após 2 etapas)
1º Jonathan Paredes (MEX), 330 pts
2º Gary Hunt (GBR), 310
3º Michal Navratil (CZE), 200
4º Kris Kolanus (Wildcard, POL), 190
5º Blake Aldridge (GBR), 180
6º David Colturi (EUA), 170
7º Orlando Duque (COL), 160
8º Alessandro de Rosse (ITA), 98
9º Steven LoBue (EUA), 80
10º Andy Jones (EUA), 70

Femininos (após 1 etapa)
1º Rhiannan Iffland (Wildcard, AUS), 200 pts
2º Cesilie Carlton (EUA), 160
3º Helena Merten (AUS), 130
4º Adriana Jimenez (MEX), 110
5º Lysanne Richard (CAN), 90
6º Rachelle Simpson (EUA), 70
7º Ginger Huber (EUA), 60
8º Tara Hyer-Tira (Wildcard, EUA), 50