Red Bull Air Race regressa ao Porto 10 anos depois da estreia

Red Bull Air Race regressa ao Porto 10 anos depois da estreia

As águas do Douro, entre as cidades do Porto e de Gaia, voltam dentro de um mês a ser o cenário de uma corrida da Red Bull Air Race World Championship.

73

Red Bull Air Race - PortoAs águas do Douro, entre as cidades do Porto e de Gaia, voltam dentro de um mês a ser o cenário de uma corrida da Red Bull Air Race World Championship. Este regresso, a 2 e 3 de Setembro, acontece dez anos depois da estreia. Com cinco etapas já cumpridas, nenhum dos pilotos no activo conhece o sabor de vencer neste traçado. O que esteve mais próximo é o norte-americano Kirby Chambliss, veterano que foi segundo em 2008 e lidera actualmente a competição.

Dez anos depois da estreia e oito volvidos sobre a última corrida, a Red Bull Air Race World Championship está de regresso a Portugal. Nos dias 2 e 3 de Setembro, os melhores pilotos do planeta vão voar baixinho a 370 km/hora sobre as águas do Douro. O exigente traçado composto por uma sucessão de pilares e pórticos insufláveis vai nascer entre as cidades do Porto e de Gaia, tendo como limites as pontes D. Luís e da Arrábida.

Trata-se da sexta etapa do calendário de 2017 e a 80ª corrida do campeonato nascido em 2003. O norte-americano Kirby Chambliss está presente desde a primeira corrida, desenvolvendo uma brilhante carreira que culminou com a conquista de dois títulos mundiais (2004 e 2006). Hoje com 57 anos, o veterano que tem uma pista de aviação no seu rancho do Texas começou cedo na aviação.

O primeiro voo aconteceu com apenas 13 anos, aos 24 foi o mais jovem copiloto de sempre da Southwest Airlines e aos 28 já era comandante. No entanto, a aviação comercial foi apenas um trampolim que lhe permitiu abraçar a sua verdadeira paixão – a aviação acrobática e desportiva.

Chambliss conhece bem o traçado do Porto. Correu nas três edições aqui disputadas, foi segundo classificado em 2008 mas nunca venceu – o feito que nenhum piloto no activo pode reivindicar e que constitui sem dúvida uma motivação adicional.

“Conheço bem o traçado do Porto e sinto-me muito confortável em voltar lá. Na última corrida fui o mais rápido na Qualificação, mas depois tive um problema com o avião que me impediu de ir mais longe. Agora estou confiante numa boa prestação”, afirmou Chambliss depois da recente vitória em Kazan.

Chambliss lidera neste momento o campeonato, mas dispõe de uma escassa vantagem sobre os seus mais directos adversários, o japonês Yoshihide Muroya e o checo Martin Sonka, que estão apenas a um ponto.

A competição segue os moldes originais – qualificações no Sábado e corrida no Domingo – embora os motivos de interesse tenham sido largamente ampliados em relação às edições de 2007-2009. Reconhecida pela Federação Aeronáutica Internacional (FAI) como o Campeonato do Mundo da aviação desportiva, a competição evoluiu nos últimos anos. Assim, existem agora duas classes, uma para pilotos consagrados (Master Class) e outra para novos talentos (Challenger Class). É nesta última que está a primeira mulher a alinhar na Red Bull Air Race, a francesa Mélanie Astles. Ao todo são 23 pilotos em representação de 15 países, sendo o actual detentor do título o alemão Mathias Dolderer.

O público pode acompanhar toda a acção nas margens do Porto e de Gaia, em vastas áreas de acesso livre onde serão montados ecrãs gigantes – permitindo assim reter os melhores momentos com o apoio de comentadores especializados. Para além do traçado, também o aeroporto temporário da corrida – situado no Parque da Cidade – estará aberto ao público em períodos específicos, com a tradicional visita, onde os fãs podem ver de perto os aviões e conhecer os pilotos.