Red Bull Air Race 2017: Renasceu o Samurai dos Céus em Lausitzring

Red Bull Air Race 2017: Renasceu o Samurai dos Céus em Lausitzring

Depois da prestação decepcionante no Porto, o japonês Yoshihide Muroya renasceu das cinzas na primeira etapa da Red Bull Air Race deste ano disputada num circuito automóvel.

35

Yoshihide Muroya - Red Bull Air Race 2017 - LausitzringDepois da prestação decepcionante no Porto, o japonês Yoshihide Muroya renasceu das cinzas na primeira etapa da Red Bull Air Race World Championship deste ano disputada num circuito automóvel.

A acção em Lausitzring começou com a eliminação do Campeão do Mundo Matthias Dolderer e terminou com a consagração do samurai dos céus, que partilhou o pódio com duas estrelas que brilharam também no Porto: o australiano Matt Hall e o checo Martin Sonka. A luta pelo título está agora mais intensa do que nunca.

Deixando para trás os traçados sobre a água, como foi o caso do Douro, a Red Bull Air Race mudou de cenário para regressar aos circuitos automóveis. Nesta configuração, os pórticos insufláveis são montados no centro da pista e o público assiste a toda a ação a partir das bancadas, como em qualquer corrida de desportos motorizados.

Šonka e Muroya chegaram a Lausitzring no último fim-de-semana (16 e 17 de Setembro) em primeiro e quarto lugar na tabela do Campeonato do Mundo. Quando ambos passaram à grande final, os muitos fãs checos que esgotaram o recinto entraram em histeria. Depois de Matt Hall ter estabelecido o tempo de 50.846s, Muroya arrumou a competição com uma volta de 50.451s.

Já depois do espanhol Juan Velarde sofrer uma penalização, todas as decisões ficaram nas mãos de Šonka. O ás checo não conseguiu melhor do que 50.964s, um tempo que lhe garantiu apenas o terceiro lugar, mas que ainda assim foi amplamente celebrado pelos seus apoiantes no circuito alemão.

Os resultados em Lausitzring vieram colocar todos os holofotes na grande final da época, a disputar em Outubro no circuito automóvel de Indianápolis (EUA). Um dos quatro pilotos da frente vai erguer o troféu de Campeão do Mundo no famoso circuito.

Depois da Alemanha, Šonka lidera com 63 pontos, Muroya está apenas a quatro pontos, com 59, e o canadiano Pete McLeod soma 56 pontos. Erguer o título pela primeira vez e levar o ceptro para o seu país é uma motivação comum aos três pilotos. Para isso, vão ter de suplantar o veterano Kirby Chambliss, que detém agora 52 pontos e conta com uma vantagem de peso para chegar ao seu terceiro título: o apoio do público.

“Venci e isso é naturalmente muito gratificante. Passámos um mau bocado em Kazan e no Porto, depois fizemos uma boa preparação e o resultado está à vista; por isso quero agradecer a todos os elementos da minha equipa”, afirmou um Muroya emocionado.

“Eu sabia que ia poder lutar pelo título mundial este ano. O plano para Indianápolis é simples: ser rápido e vencer”.

Agora as equipas e os fãs vão ter quatro semanas de grande pressão à espera da chegada a Indianápolis, nos dias 14 e 15 de Outubro.

Classificações (após 7 etapas)

Master Class
1º Martin Šonka (Rep. Checa), 63 pontos
2º Yoshihide Muroya (Japão), 59
3º Pete McLeod (Canadá), 56
4º Kirby Chambliss (EUA), 52
5º Matt Hall (Austrália), 37
6º Petr Kopfstein (Rep. Checa), 37
7º Juan Velarde (Espanha), 28
8º Matthias Dolderer (Alemanha), 27
9º Michael Goulian (EUA), 24
10º Mikael Brageot (França), 19

Challenger Class
1º Florian Berger (Alemanha), 36 pontos
2º Daniel Ryfa (Suécia), 34
3º Luke Czepiela (Polónia), 30
4º Kevin Coleman (EUA), 26
5º Mélanie Astles (França), 18
6º Ben Murphy (Reino Unido), 16
7º Baptiste Vignes (França), 14