Red Bull Air Race 2017: Das águas do Douro para o circuito...

Red Bull Air Race 2017: Das águas do Douro para o circuito de Lausitz

Com a viagem até ao circuito alemão de Lausitz dá-se uma clara mudança de ambiente, com a corrida a ser disputada sobre terra. A luta pelo título promete continuar bem acesa, com sete pilotos ainda com possibilidades matemáticas de lá chegar.

28

Martin Sonka - Red Bull Air Race 2017 - PortoDuas semanas depois da acção nas águas do Douro, os pilotos da Red Bull Air Race World Championship estão de volta para a sétima etapa da temporada. Com a viagem, no próximo fim-de-semana (16 de Setembro) até ao circuito alemão de Lausitz dá-se uma clara mudança de ambiente, com a corrida a ser disputada sobre terra. A luta pelo título promete continuar bem acesa, com sete pilotos ainda com possibilidades matemáticas de lá chegar.

A mudança do Porto para o Eurospeedway de Lausitz, no próximo fim-de-semana (16 de Setembro), introduz uma nova fase na época deste ano da Red Bull Air Race World Championship. Não só muda o cenário, com a corrida a passar da água para terra, como também o público terá uma perspectiva muito diferente da competição, assistindo a partir das bancadas – como acontece numa corrida de Fórmula 1 – ao desenrolar da acção.

Depois dos resultados da corrida do Porto terem baralhado as contas do Campeonato do Mundo, há neste momento sete pilotos com possibilidades matemáticas de chegar ao título. Num olhar mais realista, acabamos por encontrar apenas quatro nomes – três destes estão sedentos por chegar ao seu primeiro título, enquanto o quarto é uma lenda a sonhar com o terceiro troféu.

A cumprir a sua quinta época, Martin Šonka esteve ao seu melhor nível no Porto. O piloto checo começou por estabelecer o recorde do traçado ainda nos Treinos Livres, para depois aquentar a pressão numa final particularmente intensa que acabaria por vencer.

Desta forma, passou do terceiro para o primeiro lugar da classificação geral. Uma progressão que foi feita à custa de dois pilotos, o norte-americano Kirby Chambliss (caiu de primeiro para terceiro) e o japonês Yoshihide Muroya (caiu de segundo para quarto).

As estatísticas mostraram que em duas das três anteriores corridas no Porto o vencedor acabou por ser mais tarde coroado Campeão do Mundo. A confirmar-se, vamos ter um Campeão chamado Šonka. No entanto, não podemos esquecer que o canadiano Pete McLeod tem sido nas últimas corridas de 2017 o mais consistente: à ‘pole position’ nas últimas quatro corridas juntou três medalhas de prata consecutivas. Um perfil muito semelhante ao demonstrado pelo britânico Nigel Lamb, que venceu o título de 2014, mesmo tendo apenas vencido uma corrida nessa época.

Neste momento há dez pontos a separar Šonka (54 pontos) dos seus três mais directos perseguidores – McLeod (50 pts), Chambliss (47 pts) e Muroya (44 pts). Neste contexto, os 15 pontos que estão em causa no Eurospeedway Lausitz são especialmente importantes.

Embora todos os espectadores tenham motivos para estar felizes pelo regresso da corrida a Lausitz, é natural que as atenções se prendam no piloto da casa e actual Campeão do Mundo, Matthias Dolderer. O alemão tem tido uma época aos altos e baixos e ocupa neste momento o sexto lugar do ranking, a uma grande distância da revalidação do título. Dolderer foi aqui segundo no ano passado, atrás do australiano Matt Hall, e precisa agora de uma vitória para se manter na corrida pelo título.

Toda a acção em Lausitz pode ser acompanhada em directo na página oficial www.redbullairrace.com.

Classificações (após 6 etapas)

Master Class
1º Martin Šonka (República Checa), 54 pontos
2º Pete McLeod (Canadá), 50
3º Kirby Chambliss (EUA), 47
4º Yoshihide Muroya (Japão), 44
5º Petr Kopfstein (República Checa), 34
6º Matthias Dolderer (Alemanha), 27
7º Matt Hall (Austrália), 25
8º Michael Goulian (EUA), 24
8º Juan Velarde (Espanha), 21
10º Mikael Brageot (França), 15

Challenge Class
1º Florian Berger (Alemanha), 36 pontos
2º Kevin Coleman (EUA), 26
3º Daniel Ryfa (Suécia), 24
4º Luke Czepiela (Polónia), 24
5º Melanie Astles (França), 18
6º Batiste Vignes (França), 14
7º Ben Murphy (Reino Unido), 14