Rampa da Falperra 2017: Início atribulado na 1ª subida oficial da prova

Rampa da Falperra 2017: Início atribulado na 1ª subida oficial da prova

Os problemas foram causados pelo óleo derramado numa larga extensão da pista na última curva do traçado bracarense pelo Mitsubishi de Manuel Pereira

335

O primeiro dia de competição na 38ª edição da Rampa Internacional da Falperra, ficou marcado pelos problemas surgidos na primeira subida oficial de prova, causados pelo óleo derramado numa larga extensão da pista e em especial na última curva do traçado bracarense, depois de problemas com o Mitsubishi Lancer Evo VI de Manuel Pereira.

A organização, a cargo do Clube Automóvel do Minho (CAM), foi forçada a lavar o pavimento, o que criou diversas situações que prejudicaram os pilotos que ainda não tinham completado a prova. As subidas foram depois retomadas para serem de novo suspensas pouco depois, devido a não estarem reunidas as condições mínimas de segurança. Esta situação viria mesmo a forçar o final antecipado desta primeira subida oficial, com a organização a prometer mais informações, para depois da reunião de comissários desportivos entretanto encetada.

Afectadas por este problema, as classificações das Categorias 1, 2, 3, 4, 5 e Taça Nacional TCR/TCS, não foram divulgadas e ficam dependentes da reunião acima citada.

Na Taça Nacional de Montanha 1300 a luta pela primazia está ao rubro, com Armando Freitas em Toyota Starlet e Francisco Leite em Fiat Punto, a entrarem para o segundo dia de provas separados por apenas 108 milésimos. Aos 2:55s608 de Freitas, respondeu Leite com a marca de 2:55s716. Ricardo Sousa é para já o terceiro colocado com o seu Fiat Punto.

No Campeonato Nacional de Clássicos Montanha, o melhor tempo nesta primeira subida oficial pertenceu a José Pedro Gomes, com o piloto do Ford Escort MKI a registar o tempo de 2:39s320. Na segunda posição ficou Pedro Silva em VW Golf GTi, com mais 6s095 que Gomes. A completar o pódio está para já Jorge Loures e o seu Ford Cortina Lotus. Problemas para Flávio Sainhas, que não completou a sua subida depois de o motor do seu Ford Escort MKI se ter ‘calado’.

Depois de falhar a primeira subida de treinos do dia de Sábado, Victor Ramos fez 2:41s500 e levou o seu Ford Escort MKI, ao topo da classificação reservada ao Troféu Nacional Clássicos de Montanha. Carlos Oliveira em BMW 323i é nesta altura o segundo classificado, seguido por Luís Sousa em BMW 3.0 CSL.

Depois de dominar a tabela de tempos da Taça Nacional de Clássicos de Montanha, João Peixoto teve problemas com o seu Mini Cooper e não completou a sua primeira subida oficial, com o melhor tempo (3:02s189) a ficar na posse de Tiago Moreira em Datsun 1200. Mais atrás, ficou Domingos Fernandes com o seu pequeno Autobianchi A112.