Rally dos Sertões: Bianchini Rally fez o prólogo com calma

Rally dos Sertões: Bianchini Rally fez o prólogo com calma

245

Começou neste Sábado em terras goianas a 23ª edição do Rally dos Sertões, mas ainda no asfalto. Diferentemente dos anos anteriores, o Prólogo foi disputado no Autódromo Internacional Ayrton Senna, num percurso de 1.900 metros. Não teve terra, nem poeira, mas um pouco de diversão para os competidores que aguardam ansiosamente pela largada, marcada para este Domingo (2). A Bianchini Rally teve os seus quatro pilotos posicionados entre os sete primeiros, nas suas respectivas categorias.

Pela primeira vez na história da maior prova off-road do país, a tomada de tempo que define a ordem de largada para o rali apresentou este formato – 100% de asfalto – mas já serviu para aquecer os motores. Nas Motos foram 38 pilotos, que lutaram de dois em dois. Com 1m15s8, o paulista Marcos Finato (KTM 530 EXC) fechou em sétimo na Super Production. O cearense Adhemar Pereira ‘Índio’ (KTM Rally Réplica 450) ficou em sexto na Production Aberta com 1m18s3, enquanto o gaúcho Marcos Colvero (KTM 530 6days) terminou em sétimo também na mesma categoria, com o tempo de 1m19s3. Já Tiago Fantozzi, piloto Bianchini Rally/X Rally Team (Protótipo 500cc 6days), fechou com o segundo melhor tempo da Super Production e começou entre os top-5 na geral.

Foi totalmente atípico andar no asfalto, tive um pouco de receio de acelerar muito e preferi não correr riscos que pudessem prejudicar-me para primeira etapa, então dei uma poupada“, diz Finato (#11).

Amanhã [hoje] vou sentir a moto na terra para ver como ela se encaixa, mas sempre com o foco de completar as especiais todos os dias e não me machucar“, completa o piloto.

Para ‘Índio’ (#8), como Adhemar é conhecido no off-road, apesar de não estar acostumado com o asfalto foi uma experiência nova.

Para um piloto de Cross Country foi um tanto diferente, mas divertido, apesar de estar um pouco perigoso. Mas agora é pensar que amanhã começa realmente o Sertões e estou pronto“, salienta o competidor, que tem uma pena acoplada ao capacete, que remete a algo como um costume indígena.

Não é o que estamos acostumados a fazer, por isso também o meu desempenho não foi dos melhores, mas ainda assim, achei legal e divertido. A partir de amanhã, a história muda“, finaliza o gaúcho, que foi mais cauteloso na pilotagem neste Sábado, mas está ansioso para mais uma largada do Rally dos Sertões, “uma prova desafiante que mexe com a adrenalina e superação dos seus participantes“.

Esta edição do rali terá sete etapas e passará por quatro estados – GO, MS, SP e PR – sendo que a chegada será inédita na Usina de Itapu, em Foz do Iguaçu. Neste Domingo, o primeiro destino da caravana do Sertões será Rio Verde (GO), com um trecho cronometrado de 205 quilómetros.