Rally Dakar 2017: Quedas e lesões levam ao abandono de Megre e...

Rally Dakar 2017: Quedas e lesões levam ao abandono de Megre e Portela

David Megre sofreu uma queda na 4ª Etapa e teve de ser transportado de helicóptero para o hospital, com fracturas. Luís Portela partiu o pé na 5ª Etapa

40

No ano de estreia, os pilotos do Team Jetmar KTM Portugal – Noori/ Ageas Seguros /H3 foram forçados a abandonar a edição 2017 do Rally Dakar. Terminar a corrida é um sonho que ficou adiado.

A prova não começara bem para David Megre, que perdeu quase duas horas devido a problemas eléctricos registados na moto na 2ª etapa. Partindo muito detrás, conseguiu o 61º tempo no dia seguinte, resultado que lhe permitiu subir 27 posições na tabela classificativa geral. Na 4ª etapa, que se disputou na Quinta-feira, sofreu uma queda e teve de ser transportado de helicóptero para o hospital, com algumas fracturas.

Luís Portela de Morais, que estava a ter um desempenho fantástico para um estreante, ocupava o 35º posto na classificação geral depois de lhe ter sido creditado o tempo gasto na paragem para ajudar o seu amigo e companheiro de equipa, foi forçado a desistir após ter sido encontrado por Pedro Bianchi Prata caído, com o pé partido, quando disputava a 5ª etapa. Tal como David Megre, também evacuado para o hospital, foi já operado.

Luís Portela de Morais explica com tudo aconteceu.

“Infelizmente o sonho acabou e devido a um erro meu. Foram meses e meses de trabalho e de sacrifícios que foram por água abaixo, por causa de uma nota mal lida. Li mal uma nota que indicava dois perigos e eu contornei o primeiro e não reparei que indicava um segundo, poucos metros à frente. Assim que contornei o primeiro perigo e entrei na estrada outra vez comecei a procurar a nota seguinte quando de repente estava no chão. A sorte é que ia a pouca velocidade, mas caí mal e fiquei com o pé preso na mota, partiu”.

“Quero desde já agradecer ao Pedro Bianchi Prata pelo o auxílio e motivação. Depois quero pedir desculpa a todos os que desiludi, principalmente, à minha família e amigos mais próximos que sofreram imenso nestes meses. Muito obrigado por todas as mensagens e telefonemas e a preocupação demonstrada. Quero ainda agradecer à KTM Portugal a oportunidade de montar este projecto e a todos os outros patrocinadores que tornaram possível a minha tentativa de realizar este sonho.

Já fui operado pelo Dr. Fuentes em La Paz. O Dr. Fuentes é o mesmo médico que operou o Toby e o Walkner e em quem a KTM confia. Foi uma cirurgia complicada, mas os médicos deram feedback positivo. Espero agora voltar rápido para Portugal e recuperar rapidamente. Infelizmente, um sonho que ficou por cumprir. Obrigado a todos”, acrescentou Luís Portela de Morais.