Ralicross de Lousada II 2017: Resumo de Sábado, por Categoria

Ralicross de Lousada II 2017: Resumo de Sábado, por Categoria

Lousada recebe a 4ª prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, com um circuito renovado, em que a curva três da pista da Costilha foi redesenhada, sendo agora mais rápida

42

Ralicross de Lousada 2017Lousada recebe a quarta prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, com um circuito renovado, em que a curva três da pista da Costilha foi redesenhada, sendo agora mais rápida.

Pedro Alves foi o piloto convidado do Team Seraical e da promoção do campeonato. Começou com problemas de caixa de velocidades no AG Sport, mas rapidamente se adaptou ao ritmo de corrida. O Team Seraical é que teve que, por seu lado, se adaptar ao ritmo de Pedro Alves, no que à boa disposição diz respeito.

“Começámos com os problemas de caixa e não pude rodar nos treinos livres e na primeira de cronometrados; na segunda deu para ver um pouco melhor como é e na corrida já consegui evoluir. Amanhã cá estarei de novo!”, comentou Pedro Alves.

Amanhã a competição reinicia-se às 09,30, com o warm-up. As meias-finais e finais estão agendadas para as 16.00 horas.

Super Iniciação

Os treinos cronometrados prometeram grande animação. Rodrigo Correia (Peugeot 205) foi o mais rápido, bateu Pedro Domingos (Touota Starlet) por seis décimas.

Na primeira qualificação, foi a vez de João Novo (Peugeot 106) brilhar, venceu a manga e ‘deu’ 4,6 segundos ao mais directo adversário: Rafael Rocha.

Rocha (Peugeot 106) não teve vida fácil, pois Pedro Domingos foi apenas uma décima mais lento e dessa forma assegurou a segunda posição, à frente de Rodrigo Correia e Andreia Sousa (Toyota Starlet). Francisco Silva foi a ausência notada a mecânica do Citroen Saxo não colaborou.

Super Nacional 2RM

Treinos muito disputados, em que Luís Moreira (BMW 325i) levou a melhor sobre Santinho Mendes (Opel Astra), pela margem mínima de 17 centésimas. Celmo Guicho (Renault Clio) foi uma décima mais lento do que Santinho e baixou para terceiro.

Na primeira corrida de qualificação as coisas inverteram-se na frente. Santinho ganhou e Luís Moreira passou para segundo. Em Celmo Guicho é que ninguém ‘mexeu’ e foi o terceiro com mais dois segundos do que o homem do BMW.

Fábio Silva (Peugeot 106) foi meio segundo mais lento dos que o Campeão em título a foi quarto, à frente de Daniel Sousa (Peugeot 106) e de José Queirós (Peugeot 206).

Super 1600

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) impôs-se nos treinos cronometrados, 27 centésimas foi a margem sobre José Rodrigues (Peugeot 206 S1600), que lhe deu a pole-position para a primeira corrida. Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) foi o terceiro a meio segundo da ‘pole’.

Na primeira corrida de qualificação as coisas ficaram mais ou menos na mesma, na frente, ou seja: Ribeiro em primeiro, Rodrigues em segundo, mas agora com uma diferença de 3,7s.

Hélder Ribeiro mais uma vez foi terceiro, com uma vantagem de um segundo redondo sobre Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600). Rui Sirgado (Citroen DS3 S1600) e Rogério Sousa (Peugeot 207 S1600) seguiram-no respectivamente.

Ricardo Soares teve que deixar o habitual Citroen Saxo S1600 na garagem e veio até Lousada num Peugeot 208 R2, um carro de ralis, de acordo com a regulamentação do Grupo R2.

Super Nacional A 1.6

Sérgio Dias (Citroen Saxo) ganhou a pole-position pela margem de duas décimas de segundo, sobre Pedro Tiago (Peugeot 106 GTI). Daniel Leal foi meio segundo mais lento e ficou com o terceiro posto da grelha para a primeira corrida.

Pedro Tiago foi o mais rápido na primeira qualificação, ganhou a João Oliveira (Peugeot 206 GTI) por dois segundos.

Sérgio Dias baixou duas posições na corrida e terminou com o terceiro posto, à frente de Luís Morais (Peugeot 106 GTI), Daniel Leal (Citroen Saxo) e de Américo Sousa (Citroen Saxo), respectivamente.

Super Car

Pedro Matos (Citroen DS3) e Ana Matos (Mitsubishi Lancer EVO VI) tiveram uma espécie de discussão familiar que terminou com uma diferença de dois segundos, com vantagem para Pedro.

Daniel Costa fez terceiro tempo à geral, segundo da Super Nacional 4WD, atrás de Ana Matos.

Na corrida, Pedro Matos voltou a ditar lei, tanto mais que o seu natural adversário, Joaquim Santos, ficou pelo paddock, com problemas no Ford Focus.

Um pião de Ana Matos deixou caminho aberto a Daniel Costa, para ser segundo e, simultaneamente, o melhor da Super Nacional 4WD, à frente de Carlos Pereira (BMW E30 IX)e de Ana Matos.

Super Buggy

Mais uma pole-position para Ludgero Santos (Toniauto TNTT), com vantagem de 1,45 segundos sobre António Estêvão (GRT MXG). A luta pelo segundo posto foi mais renhida, Rafael Teixeira (Toniauto TT) ficou a uma décima de ser segundo.

Se é certo que na primeira corrida na frente não houve nada de novo e Ludgero Santos ganhou, é também certo que no que diz respeito às posições secundárias as coisas foram mais animadas. Rafael Teixeira agora terminou à frente de António Estêvão e o quarto posto foi para Nelson Barata (Toniauto TT), à frente de Paulo Godinho (PG Racing) e Arménio Rodrigues (Atmos Strong).

Kartcross

Para variar, Luís Almeida (Semog) foi o mais rápido, para não variar os treinos foram disputados ao ‘pelo’ e os 14 primeiros estavam separados por menos de um segundo. Rui Nunes (Semog Bravo) foi segundo a 11 centésimas e com mais quatro milésimas ficou José Luís Pereira (AG Sport).

O convidado Pedro Alves ficou fora da qualificação, enquanto tentava solucionar um problema na caixa de velocidades do AG Sport, que tinha ficado encravada na primeira, nos treinos livres.

Três mangas de qualificação deram a vitória a Mário Rato (Semog Bravo) na primeira corrida. José Luís Pereira (AG Sport) foi sete décimas mais lento e fechou as contas no segundo posto. Rui Nunes (Semog BravoI) foi terceiro, à frente do Campeão em título, Pedro Rosário (Semog Bravo ER), que foi segundo na serie, atrás de Rui Nunes e Jorge Gonzaga (ASK R268) foi terceiro na serie, quinto da geral.

José Mota (Semog Bravo) venceu a respectiva serie, fechou as contas da primeira corrida em sexto.