Rali de Mortágua 2017: Luís Mota obrigado a desistir quando liderava

Rali de Mortágua 2017: Luís Mota obrigado a desistir quando liderava

Uma transmissão partida acabou por colocar um ponto final na participação dos pilotos da Competisport e travá-los numa vitória que estava bem encaminhada.

27

Luís Mota - Rali de Mortágua 2017A Competisport esteve em destaque na edição de 2017 do Rali de Mortágua, prova pontuável para a Taça Nacional de Ralis Terra e para o Campeonato Nacional de Ralis (CNR).

Na prova a cargo do Clube Automóvel do Centro, a equipa do Cartaxo apresentou-se à partida da prova com a dupla Luís Mota e Alexandre Ramos em Mitsubishi Lancer EVO VI, os 3º classificados da Taça Nacional de Ralis Terra.

O piloto entrou na prova com um 2º melhor crono na super especial nocturna, decorrida na Sexta-feira e que contou com milhares de aficionados a assistir.

No Sábado, a dupla Mota e Alex entraram bem, vencendo a 1ª especial e saltando para a liderança do rali. Na especial seguinte voltaram a vencer e assim foram dilatando a sua vantagem especial a especial, até à sexta, onde uma transmissão partida acabou por colocar um ponto final da participação da equipa e travá-los numa vitória que estava bem encaminhada.

“Conseguimos uma estratégia diferente de pneus que se revelou muito produtiva e conseguimos dilatar uma boa vantagem! Usámos um modelo diferente de pneus MRF, com um rasto mais direccional e estreito e no tipo de piso de Mortágua funcionou em pleno, permitindo desde o primeiro troço de Sábado, começar a construir uma boa liderança. Contudo, uma transmissão cedeu e foi o fim da prova!”, refere André Mota, responsável da Competisport.