Rali de Marrocos 2017: Neutralização da 2ª etapa não abranda Elisabete Jacinto

Rali de Marrocos 2017: Neutralização da 2ª etapa não abranda Elisabete Jacinto

Em CP1 a equipa Bio–Ritmo® ocupava o quarto posto entre os T4 apenas a 14m52 do primeiro classificado, o argentino Frederico Villagra.

31

Elisabete Jacinto - Rali de Marrocos 2017 - 2ª EtapaA piloto Elisabete Jacinto terminou hoje a segunda etapa do Rallye Oilibya du Maroc no quarto lugar entre os camiões, num dia em que a especial, composta por um trajecto de 354,45 quilómetros, acabou por ser neutralizada após o CP1 uma vez que as chuvas fortes que caíram na região de Erfoud deixaram um dos oued, que fazia parte do sector selectivo, intransponível.

Por este motivo, após terem cumprido 130 quilómetros de percurso, os concorrentes foram obrigados a parar e a regressar ao acampamento sem disputar a totalidade da jornada.

Atendendo a esta situação, até à hora de envio deste comunicado não existia ainda uma classificação definitiva, mas em CP1 a equipa Bio–Ritmo® ocupava o quarto posto entre os T4, apenas a 14m52 do primeiro classificado, o argentino Frederico Villagra.

“Infelizmente a etapa de hoje acabou por ser neutralizada logo após o CP1. Choveu imenso há dois dias e o oued que íamos atravessar acabou por ficar intransponível. Como a NPO fez o reconhecimento do terreno antes de ter chovido não se deram conta deste facto. Assim, só quando as motas lá chegaram e viram que não conseguiriam passar é que a organização decidiu neutralizar o sector selectivo desde o CP1 em diante.

Acabámos por fazer apenas 130 quilómetros, dos 354 que compunham a especial. Estava tudo a correr bem e estávamos a imprimir um bom ritmo quando tivemos que regressar ao acampamento”, explicou a piloto portuguesa.

A terceira etapa desta competição realiza-se entre Erfoud e o Erg Lihoudi. O dia será dividido em duas especiais: a primeira, composta por 435,11 quilómetros cronometrados que vão percorrer trilhos rápidos, seguidos por cruzamentos de oueds e passagens por verdejantes palmeirais.

O segundo sector selectivo terá 142,79 quilómetros. Começa numa pista com muita pedra e termina com a travessia das dunas mais altas da região.