Rali de Castelo Branco: Resumo da SE ‘Jornal Reconquista’

Rali de Castelo Branco: Resumo da SE ‘Jornal Reconquista’

46

Está na estrada a edição de 2015 do Rali de Castelo Branco, este ano 3ª prova do Campeonato Nacional de Ralis (CNR), depois de ter fechado a temporada de há um ano. Se na altura tudo estava decidido e o rali corria-se a feijões, já esta edição promete aquecer com a luta protagonizada pelos candidatos aos pontos que, no final do ano, poderão significar títulos.

Rali de Castelo Branco 2015 - PEC Jornal ReconquistaTal ficou demonstrado logo na Super Especial ‘Jornal Reconquista’, troço de 2,2 km desenhado no centro de Castelo Branco e emoldurado por alguns milhares de espectadores, que nem com a chuva que teimava em cair arredaram pé, acumulando-se, nomeadamente, em redor da Rotunda Europa.

Entre os pilotos que disputam o CNR coube a João Barros/Jorge Henriques marcar a diferença, por margem muito escassa, de apenas 4 décimas de segundo, impondo o seu Ford Fiesta a carro idêntico de Ricardo Moura/António Costa, enquanto José Pedro Fontes/Miguel Ramalho (Citroën DS 3 R5) seriam os 3ºs mais rápidos, a 2 segundos do vencedor.

Foi um troço muito bom, o carro esteve fantástico”, diria o vencedor absoluto do troço no seu final. “Entrámos com o pé direito neste rali mas estou consciente que amanhã a luta vai ser muito grande com o Ricardo e com o Zé Pedro”.

Se Barros venceu esta especial de abertura e, com isso, a categoria RC2, nos restantes escalões as lutas dividiram-se entre alguns dos protagonistas e alguns ‘outsiders’. Nos RC2N, Adruzilo Lopes/Vasco Ferreira (Subaru Impresa R4) deixou Nelson Trindade/Roberto Santos (Mitsubishi Lancer Evo IX), a 4,5 segundos.

Entrámos no troço de modo tranquilo e queremos lutar pela vitória no Grupo N. Se as condições de tempo permitirem, poderemos, eventualmente, minimizar as diferenças para os mais rápidos e conseguir um bom lugar à geral”, afirmou.

Carlos Vieira/Luís Ramalho e Gil Freitas/Jorge Carvalho (ambas as duplas em Porsche 997 GT3 Cup e os únicos em RGT em prova) acabaram separados por 2 segundos, com vantagem para o primeiro. Entre os concorrentes com modelos de tracção à frente, João Ruivo/António Magalhães (Renault Clio R3) e Ricardo Marques/Paulo Marques (Renault Clio R3T) foram os mais rápidos, registando uma diferença de 2,6 segundos entre si, sendo também os melhores do grupo RC3. Algo apreensivo para amanhã, espera “que o tempo não nos pregue partidas“. Ruivo afirmou no final do troço ser sempre “agradável ficar à frente dos duas rodas motrizes. Tentámos ser rápidos e dar espectáculo e correu bem!

Na categoria RC4 a luta deu-se entre Renato Pita/Luís Cavaleiro (Peugeot 208 R2) e David Brites/Pedro Vaz (Peugeot 206), com vantagem para o primeiro por uma única décima de segundo. Acrescente-se que Brites foi o mais rápido entre os Iniciados, impondo-se a Pedro Antunes/Filipe Fernandes (Citroën C2) por 2,1 segundos.

Entre os concorrentes do Challenge DS3, todos em Citroën DS3 R1 e integrados no grupo RC5, Ricardo Roda/Eurico Adão bateu Ricardo Sousa/Carlos Silva por 3,1 segundos e André Rodrigues/António Rodrigues por 6,7 segundos.

Fizemos um bom troço, apesar do piso muito escorregadio e pelo facto de estar a usar estes pneus à chuva pela primeira vez, tendo algum cuidado nas travagens” disse Roda. “Amanhã queremos lutar pela vitória”.

Os ‘Aniversariantes’ abriram as hostilidades e Marco Afonso e Nelson Martins foram os mais lestos na PEC 1

Aliciante adicional da presente edição do Rali de Castelo Branco é a exibição dos concorrentes ao Rali do 51º Aniversário da Escuderia Castelo Branco, grupo a quem coube abrir as hostilidades neste primeiro dia. Marco Afonso/Nelson Martins (Datsun 1200) foram os mais rápidos no troço de abertura, com o ‘crono’ a parar nos 2 minutos e 10,0 segundos redondos. Deixaram o Peugeot 206 GTi da dupla Nuno Mateus/Paulo Pimentel a quatro décimas de segundo e o Citroën Saxo dos terceiros mais rápidos, José Carlos Lopes/Fernando Lopes, a meras seis décimas da marca registada nestes 2,2 km iniciais.

No final, o vencedor do troço e também sócio da Escuderia Castelo Branco, resumia assim a sua prestação.

Correu tudo bem, nas calmas, bem melhor do que no ano passado. Para amanhã espero apenas chegar ao final, deixando para trás os dois azares que tive na edição passada. Vamos divertir-nos e andar nas calmas”.

André Cabeças/Luís Sá impõem-se no Campeonato FPAK de Ralis Centro

Finda a ronda pela PEC 1 citadina para os pilotos do Campeonato FPAK Ralis Centro, a classificação do primeiro dia do Rali de Castelo Branco apresenta André Cabeças/Luís Sá (Mitsubishi Carisma) na frente do seu grupo. Mais rápidos no troço-espectáculo composto por várias rectas entrecortadas por ganchos, chicanes artificiais e rotundas, completaram o traçado em 1m53,5 segundos, suficiente para deixar a 4,9 segundos a dupla Pedro Leone/Bruno Ramos (Ford Escort Cosworth) e a 17,4 segundos André Ferreira/Alberto Silva (Peugeot 106 GTi).

Venci o troço por mérito da minha assistência que me indicou os pneus adequados, quando eu estava em dúvida sobre o que usar”, referia no final do troço um satisfeito André Cabeças.

Para amanhã “será, de novo, complicado fazer essa escolha, pelo que o resultado do rali dependerá muito desse factor, em função do estado das estradas”, acrescentou.

Quanto aos actuais líderes, neste momento, do Campeonato FPAK de Ralis Centro – Carlos Fernandes e Fernando Teotónio (ambos em Mitsubishi Lancer Evo VI) – as condições muito escorregadias do troço foram-lhes adversas. Fernandes escorregou às duas rodas contra um passeio, provocando um furo à frente e partido a jante traseira, enquanto Teotónio fez um pião. Ambos terão, assim, de recuperar os vários segundos perdidos na jornada de hoje.

Integradas nesta prova inserem-se as concorrentes femininas que disputam o Ladies Rally Trophy 2015. Apesar de um pequeno percalço, Mariana Carvalho/Ana Monteiro (Peugeot 208) foram as que melhor souberam gerir o piso bastante escorregadio do troço inaugural.

Correu bem mas estava um pouco apreensiva com as marcações nas mudanças de trajectória. Apesar de um pequeno engano, acho que correu bem. Já amanhã espero fazer um bom rali, apesar de não estar habituada a fazer um rali tão grande. Espero, pelo menos, acabar num lugar do pódio entre as senhoras”.

Elas bateram na corrida ao melhor tempo a dupla Rosário Sottomayor/Ana Martins (Skoda Fabia RS) por 7,1 segundos neste primeiro troço do rali.

Finalmente, entre os cinco pilotos do Campeonato Nacional de Ralis Clássicos presentes, João Mexia Leitão/Nuno Machado foi quem mais deu espectáculo à chuva com o Porsche 911 Coupé, completando o troço em 2m12,5s. Aníbal Rolo/Daniel Rolo (Rensult 5 Turbo) ficaram a 2,2 segundos e Joaquim Bernardes/Laurinda Alves (VW Golf MKI) a 2,3 segundos da dupla vencedora da especial inaugural deste Rali de Castelo Branco 2015.