Rali da Argentina 2017: Uma oportunidade perdida para a Citroen Racing Team

Rali da Argentina 2017: Uma oportunidade perdida para a Citroen Racing Team

A Citroen Racing mantém-se confiante no seu potencial e tem agora as suas atenções viradas para os eventos que se seguem, nos quais vai procurar a vitória

54

Frustrante em diversos aspectos, o fim-de-semana do Citroën Total Abu Dhabi WRT na Argentina terminou com o abandono dos dois carros. A equipa mantém-se confiante no seu potencial e tem agora as suas atenções viradas para os eventos que se seguem, nos quais, como sempre, vai procurar alcançar a vitória.

Como é óbvio, o resultado final ficou claramente a milhas de distância das expectativas do Citroën Total Abu Dhabi WRT, dez vezes vencedor do Rali da Argentina.

”Demonstrámos que temos capacidade para alcançar o nosso objectivo, ou seja, vencer o rali”, comentou Yves Matton, Director do Citroën Racing Team.

“O Kris registou uma série de tempos em que foi o mais rápido ou o segundo mais rápido, o que deixa bem claro que o C3 WRC tem tudo o que é preciso para andar na frente. Da mesma forma, os tempos feitos pelo Craig no Sábado – numa altura que se disputava a vitória final – apenas vieram confirmar as potencialidades do C3. Mesmo assim, não conseguimos que o nosso excelente ritmo se traduzisse em resultados aqui na Argentina.

Desde o início da temporada que temos vindo a pagar um elevado preço por cada obstáculo que surge no nosso caminho. Vamos continuar a trabalhar no duro e não vamos desistir, estamos plenamente convencidos de que o nosso empenho acabará por começar a dar frutos. A nossa abordagem vai continuar a ser agressiva: em vez de olhar apenas para um resultado no Campeonato do Mundo, queremos mesmo é vencer ralis e isso implica que, até certo ponto, temos de estar dispostos a correr riscos”, acrescentou.

Entre os poucos aspectos positivos do fim-de-semana, o excelente trabalho feito pelos mecânicos aparece no topo da lista. As reparações feitas no C3 WRC de Kris Meeke após o seu acidente na Sexta-feira, vão ficar como uma das maiores proezas da equipa técnica da Armada Vermelha.

“Os nossos mecânicos formam, sem dúvida, a melhor equipa de ralis dos últimos quinze anos. Trabalharam incansavelmente para reparar o carro que, como ficou comprovado pelas duas Especias ganhas pelo Meeke no sábado, ficou em perfeitas condições. Portanto, foi pena que o seu enorme trabalho e empenho não tenham sido recompensados de uma forma mais generosa. É sempre de lamentar quando se perde um carro que regressa à prova em Rali 2, devido a outra saída de estrada”, destaca Yves Matton.

Próxima paragem: Portugal

Assim que regressar da América do Sul, a equipa começará a preparar os próximos ralis. Uma sessão de testes, agendada para ter lugar em Itália, servirá para preparação do Rali de Portugal e do Rali de Itália Sardenha. Na próxima jornada, alinharão à partida quatro Citroën C3 WRC para Kris Meeke/Paul Nagle, Graig Breen/Scott Martin, Stéphane Lefebvre/Gabin Moreau e Khalid Al Qassimi/Chris Patterson.



Classificações

Rali da Argentina 2017 (top-5)
1º Neuville/Gilsoul (Hyundai i20 WRC) 3h38m10,6s
2º Evans/Barrit (Ford Fiesta WRC) +0,7s
3º Tanak/Jarveoja (Ford Fiesta WRC) +29,9s
4º Ogier/Igrassia (Ford Fiesta WRC) +1m24,7s
5º Latvala/JAnttila (Toyota Yaris WRC) +1m48,1s

WRC 2017 – Pilotos
1º Sébastien Ogier – 102 pontos
2º Jari-Matti Latvala, 86
3º Thierry Neuville, 84
4º Ott Tanak, 66
5º Dani Sordo, 51
6º Elfyn Evans, 42
7º CRAIG BREEN, 33
8º Hayden Paddon, 33
9º KRIS MEEKE, 27
10º Juho Hanninen, 15
11º Andreas Mikkelsen, 12
12º STÉPHANE LEFEBVRE, 10

WRC 2017 – Construtores
1º M-Sport WRT, 162 pontos
2º Hyundai Motorsport, 140
3º Toyota Gazoo Racing WRT, 102
4º CITROËN TOTAL ABU DHABI WRT, 73