Mundial XCO 2017: Portugueses entre azares nas corridas de Albstadt

Mundial XCO 2017: Portugueses entre azares nas corridas de Albstadt

Segunda prova da Taça do Mundo de XCO termina com o triunfo do suíço Nino Schurter. Entre os Elites, David Rosa foi 50º classificado e José Dias, 79º. Ana Tomás caiu na prova de Sub-23 femininos

44

A representação da Equipa Portugal na segunda prova da Taça do Mundo de XCO, em Albstadt, concluiu-se com o 50º posto de David Rosa e o 79º lugar de José Dias na prova de Elites masculinos levada de vencida pelo campeão do mundo Nino Schurter. Ana Tomás não chegou ao fim na prova de sub-23 femininos. Por sua vez, correndo com as cores das respectivas equipas, Mário Costa não concluiu a prova de Elites e Joana Monteiro foi a 68ª classificada entre a Elite Feminina.

A corrida de Elites Masculinos, que encerrava o programa de competições em Albstadt, correu de forma aziaga às aspirações portuguesas traduzidas nos resultados discretos de David Rosa e José Dias. O campeão nacional David Rosa viu as suas pretensões e as da restante comitiva limitadas por um inoportuno furo no momento em que seguia nos 30 primeiros.

Sem outra resposta que encetar uma recuperação de posições, o desgaste e a dificuldade de ultrapassagem do circuito, condicionaram o natural de Fátima a um lugar abaixo do esperado, concluído a corrida na 50ª posição, a 8m20s do vencedor, o suíço Schurter. José Dias, igualmente na Elite, fez uma prova com um ritmo irregular, chegando a rodar algumas posições acima do seu lugar na grelha de partida para finalmente, já desgastado, concluir a corrida na 74ª posição, a 11m09s.

Na corrida de Sub-23 femininos, a queda de Ana Tomás, única representante nacional no escalão, impediu a sua continuidade em prova, forçando o abandono.

“A Ana Tomás [corrida Sub-23 Feminina] teve uma queda logo na primeira volta e ficou fora da corrida. Foi uma queda bastante complicada, que a deixou bastante contundida e não conseguiu arrancar novamente. Nos Elites, a corrida ia lançada, o David estava no 27º lugar e teve um furo. Como é natural, perdeu bastantes lugares e, com apenas mais uma volta a percorrer, restou-lhe defender a posição, até porque o desgaste era grande.

O José Dias acusou, muito provavelmente, o facto de partir muito atrás. Fez um esforço grande nas primeiras voltas e mais tarde veio a pagar por isso. A nossa participação em Albstadt teve coisas boas, como a prestação de João Rocha – foi 59º na corrida sub-23 – e outras menos conseguidas, que terão que ser rapidamente corrigidas”, explicou o seleccionador nacional Pedro Vigário.