Mundial de Estrada 2017: Equipa Portugal ambiciosa na prova de fundo para...

Mundial de Estrada 2017: Equipa Portugal ambiciosa na prova de fundo para elite

Portugal vai estar representado por José Gonçalves, Nelson Oliveira, Ricardo Vilela, Rúben Guerreiro, Rui Costa e Tiago Machado, e a missão estabelecida pelo seleccionador nacional, José Poeira, é bem clara.

29

Equipa Portugal - Mundial de Estrada 2017 - BergenA Equipa Portugal vai alinhar com ambição de lutar pelas primeiras posições na prova de fundo para elite, que se realiza neste Domingo, em Bergen, Noruega.

Portugal vai estar representado por José Gonçalves, Nelson Oliveira, Ricardo Vilela, Rúben Guerreiro, Rui Costa e Tiago Machado, e a missão estabelecida pelo seleccionador nacional, José Poeira, é bem clara.

“Temos bons corredores, já fomos campeões mundiais e atingimos um estatuto que não nos permite participar apenas por participar. Vamos lutar por um lugar no top-10 e, como costumo dizer, o top-10 vai do décimo ao primeiro”, afirma o técnico.

O pelotão de elite vai completar 267,5 quilómetros, num percurso que permite várias abordagens à corrida. Os ciclistas partem de Rong, às 9h05 (hora portugusa), e vão percorrer 39,5 quilómetros planos até à cidade de Bergen, onde completarão 17,9 quilómetros mais 11 voltas completas ao circuito de 19,1 quilómetros.

O circuito tem uma fase inicial exigente, com vários topos antes da subida de Salmon Hill (1,5 quilómetros com inclinação média de 6,4 por cento).

“O gráfico engana, porque o traçado é mais difícil do que parece. A subida principal é antecedida de outros topos. Se bem aproveitado, este percurso permite endurecer a corrida e evitar que a maior parte dos sprinters entre na discussão da corrida”, entende José Poeira.

Tiago Machado tem a mesma opinião, recorrendo à sabedoria popular para exprimir o que pensa.

“Uma coisa é fazer a subida uma vez e outra é fazê-la doze vezes. Já diz o ditado que ‘carga leve, ao longe pesa’. Teremos cerca de 3200 metros acumulado, o que fará mossa. Acredito que será um grupo pequeno a discutir a corrida. Temos ciclistas para estar nessa luta, precisamos é de ter os olhos abertos”, assume Tiago Machado.

Rui Costa promete estar atento às oportunidades, apesar de não achar o circuito ideal para as ambições lusas.

“O percurso não é perfeito para a nossa equipa. Sabemos que as Selecões com sprinters querem que chegue um grupo grande e não será fácil fragmentar o grupo na subida, que não é tão exigente como eu gostaria. No entanto, nas últimas voltas haverá ataques e surgirão oportunidades.

É essencial que estejamos atentos a esses momentos, porque há percursos que parecem fáceis e tornam-se difíceis. O importante é que estamos todos bem fisicamente e com saúde para tentarmos a nossa sorte na fase final”, frisa o campeão mundial de 2013.

Numa equipa com grande experiência internacional, dois corredores estreiam-se com as cores portuguesas em mundiais de elite, Rúben Guerreiro e Ricardo Vilela. O transmontano mostra-se confiante para um bom desempenho ao serviço do colectivo.

“É a minha estreia pela Selecção em Mundiais de elite. Quero ajudar ao máximo os meus companheiros e honrar o nosso país, que é muito importante. Acabei bem a Volta a Espanha e recuperei a seguir à corrida. Espero ter um bom dia neste Domingo”, afirma Ricardo Vilela.

As previsões meteorológicas indiciam um bom dia para a prática da modalidade. Numa cidade onde, segundo os portugueses que vivem em Bergen e que têm visitado a Equipa Portugal, chove mais de 300 dias por ano, prevê-se um Domingo de sol.

A corrida pode ser vista em directo no Eurosport, a partir das 9h00.