Moto2: Miguel Oliveira regressa à KTM em Jerez de La Frontera

Moto2: Miguel Oliveira regressa à KTM em Jerez de La Frontera

Três dias depois de ter concluído a sua 6ª temporada no mundial de velocidade, Miguel Oliveira iniciou hoje a preparação com a mota KTM que irá utilizar.

97

Três dias depois de ter concluído a sua sexta temporada no campeonato do mundo de velocidade, e primeira na classe Moto2, Miguel Oliveira iniciou hoje em Jerez de La Frontera a preparação da nova época aos comandos da KTM que irá utilizar.

No regresso ao seio da equipa pela qual foi vice-campeão do mundo em 2015, Miguel Oliveira cumpriu no quente asfalto andaluz um total de 82 voltas, sendo o oitavo piloto mais rápido do dia, ao conseguir na sua melhor volta um tempo de 1m43.547s.

O novo piloto da KTM ficou apenas a meio segundo do registo obtido na qualificação para a corrida realizada na pista jerezana no passado mês de Abril e rodou de forma consistente nos mesmos tempos por volta desse GP onde lutou pela quinta posição numa das melhores prestações da temporada passada.

“Este era um dia muito importante para nós para conseguir transmitir aos engenheiros as sensações e também as diferenças face à Kalex, de modo a que fosse possível analisar ambas as motos. Fizemos alterações radicais na moto ao longo do dia procurando uma afinação base que nos permita dar continuidade ao nosso trabalho e isso foi conseguido. Fiz os meus melhores tempos com pneus usados e rapidamente entrei em ritmo semelhante ao que consegui aquando do GP aqui realizado e isso é muito bom nesta fase. Foi muito bom estar de volta a esta equipa, senti-me muito bem fisicamente e foi um dia muito positivo”.

Após um ano em que utilizou o chassis mais popular no pelotão do campeonato do mundo de Moto2, foi inevitável a comparação entre a Kalex e o quadro da WP que o piloto de Almada passará agora a utilizar.

“Esta moto é mais radical na sua posição de condução, mais desconfortável mesmo. Mas isso permite que para já revele boa aderência na roda traseira e isso é positivo mesmo sabendo que temos ainda que trabalhar mais ao redor da mesma, o que vamos continuar a fazer amanhã e nos testes seguintes. Sinto um pouco mais de confiança na roda dianteira e temos que continuar trabalhar e eu próprio estou ainda à procura dos limites da moto. A comparação dos dados das voltas feitas pelo Zarco são muito bons e isso vai certamente ajudar-me a mim e à equipa a continuar a fazer ‘crescer’ esta moto, que não é uma estreante em absoluto fruto do bom trabalho feito pela equipa de testes anteriormente, tanto aqui em Jerez como em outros circuitos”.

Amanhã, Miguel Oliveira regressa ao asfalto da pista de Jerez de La Frontera para cumprir o segundo dia de testes com a KTM Moto2; juntamente com os engenheiros da equipa austríaca, irá dar continuidade ao árduo trabalho de desenvolvimento da nova moto com vista ao arranque da época de estreia da marca no competitivo pelotão da classe.