Lisbon Eco Marathon: 1000 atletas solidários correm em Monsanto

Lisbon Eco Marathon: 1000 atletas solidários correm em Monsanto

45

São cerca de 1000 os atletas solidários que no próximo Sábado (20 de Junho), estarão reunidos no Parque do Calhau, em Monsanto, para participar na terceira edição da Generali Lisbon Eco Marathon, que irá apoiar nove instituições de solidariedade social através da doação do valor das receitas da prova. O tiro de partida está marcado para as 18h00, no Parque do Calhau, e a chegada dos primeiros atletas está prevista para as 22h00, no Parque Eduardo VII, junto ao Marquês de Pombal.

Este ano serão nove as instituições apoiadas por esta maratona: a Associação Salvador, a Associação ReAgir, a Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica (APELA), a Casa das Cores, a Escolinha de Rugby da Galiza, a Associação 100% Família, a Refood Estrela, a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltlipa (SPEM), e a Terra dos Sonhos. A par da componente solidária, a prova destaca-se pela vertente ecológica, juntando no mesmo percurso etapas de montanha e de estrada.

Além da prova principal, com 42 quilómetros de extensão, a Generali Lisbon Eco Marathon conta com um percurso de 21 quilómetros, com o nome de Corredor Verde, e uma prova feita em caminhada, ao longo de 30 quilómetros, em que os participantes estão encarregues de limpar o percurso da maratona integrando a Vassoura Team, que faz jus às características ecológicas da iniciativa. A Generali Lisbon Eco Marathon é a única prova do género homologada pela Federação Portuguesa de Atletismo e pela IAAF – International Association of Athletics Federations, que junta no mesmo percurso troços de trail e de estrada, permitindo aos participantes desfrutar do contacto com a natureza e da modernidade urbana de Lisboa.

Esta prova vem colmatar a lacuna de termos em Lisboa uma maratona de carácter ecológico, corrida integralmente na cidade“, explica Luís Milagres, organizador da Lisbon Eco Marathon.

É sem dúvida alguma uma maratona inovadora, que junta nos seus percursos os espaços verdes da cidade de Lisboa, os troços de montanha e de estrada“, salienta o responsável considerando que, “embora não seja uma maratona rápida onde se possam bater recordes, é uma prova cuja característica emblemática assenta na beleza do seu percurso e no desafio de o completar, seja com a distância de 42.125 metros, seja com os 21.000, entre o dia e a noite“.

Nove instituições de solidariedade social apoiadas pela Generali Lisbon Eco Marathon

Da edição passada da Generali Lisbon Eco Marathon para a edição deste ano, o número de instituições apoiadas pela prova passou de quatro para nove, facto que espelha a importância deste tipo de iniciativas e apoios para as instituições de solidariedade social. Entre as instituições apoiadas na edição de 2015 desta prova, está presente uma grande variedade de causas, desde a prestação de apoio no âmbito da reabilitação física de utentes, passando por iniciativas com vista à inserção social, até ao apoio em situações de pobreza.

A Associação Salvador tem como missão promover a integração das pessoas com deficiência motora na sociedade e melhorar a sua qualidade de vida. Apoia anualmente centenas de pessoas com deficiência motora em várias áreas, como integração profissional, desporto adaptado, obras em casa, atribuição de apoios, entre outros. Já a Associação ReAgir desenvolve a sua acção no âmbito da prevenção do sobre-endividamento e do apoio à pessoa sobre-endividada, tendo criado um método de trabalho próprio, centrado na pessoa e não na dívida, procurando conciliar o equilibro financeiro com o equilíbrio individual e familiar.

Por sua vez, a APELA é uma organização sem fins lucrativos, que tem como principal missão ajudar os doentes e as famílias portuguesas afectadas pela esclerose lateral amiotrófica, através da representação dos interesses dos doentes em instâncias superiores e pela implementação de apoio na área da reabilitação e do suporte psicológico.

A Casa das Cores é um projecto desenvolvido pelo MSV – Movimento ao Serviço da Vida, e funciona como centro de acolhimento temporário para crianças em perigo, dos três aos 12 anos, cuja protecção passa, num determinado momento das suas vidas, pela institucionalização. A Casa das Cores oferece-lhes um ambiente saudável e equilibrado, que lhes permite construir um projecto de vida mais feliz. Ao mesmo tempo, a instituição trabalha as necessidades de cada família e capacita os seus membros para que possam ser parte do projecto de vida das crianças que apoia.

A Escolinha de Rugby da Galiza, outra das instituições apoiadas pela prova, nasceu em 2006 e funciona como um espaço de formação humana e desportiva para cerca de 150 crianças e adolescentes, entre os três e os 18 anos. A maioria dos jogadores é oriunda de comunidades fragilizadas por ausência da estrutura familiar e/ou comunitária.

No caso da Associação 100% Família o principal objectivo passa por dinamizar a sociedade civil, informando e educando, no sentido de promover e divulgar a adopção, a fim de diminuir os estigmas que sobre ela ainda existem, e apoiar os candidatos, antes, durante e depois do processo de adopção.

A SPEM é uma Instituição Particular de Solidariedade Social criada há 30 anos, que tem como missão contribuir para a melhoria das condições de vida dos portadores de esclerose múltipla e das pessoas que com eles convivem. Já a Terra dos Sonhos, tem como principal actividade a realização dos sonhos de crianças e adolescentes com doença crónica grave ou institucionalizadas, como forma de lhes transmitir uma mensagem de esperança na possibilidade da realização dos seus objectivos, independentemente de circunstâncias, condicionamento ou limitações.

Por fim, o projecto Re-Food tem como missão a recolha do desperdício alimentar e a sua distribuição pelas pessoas mais carenciadas. É um projecto assente no resgate de sobras alimentares de estabelecimentos de restauração que funciona de forma 100% voluntária, com o objectivo de acabar com o desperdício de alimentos e combater a fome nos meios urbanos. Conta com cerca de 400 voluntários, 82 parceiros e alimenta 220 pessoas diariamente.