Liga NOS: FC Porto vence Académica por 3-1 e salta para a...

Liga NOS: FC Porto vence Académica por 3-1 e salta para a liderança isolada da prova

26

O FC Porto venceu a Académica, por 3-1, em encontro a contar para a 14ª Jornada da Liga NOS 2015/2016, disputado na noite deste Domingo no Estádio do Dragão, na cidade invicta.

Quando iniciou a partida, o “dragão” já sabia que o Sporting tinha perdido com o União, e por isso Julen Lopetegui pediu “intensidade” aos seus jogadores, de modo a marcar um golo o mais cedo possível.

De facto, foi um FC Porto como nunca se tinha visto esta época, muito forte, pressionante, com um bloco alto e com todos os jogadores ao ataque, à procura da bola e a tentar “alvejar” a baliza defendida por Pedro Trigueira.

Aos 7 minutos acontece aquilo que já toda a gente esperava, ou seja, o golo dos “azuis-e-brancos” apontado por Danilo Pereira, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Miguel Layun.

Apesar de estar em vantagem, o FC Porto não baixou o ritmo e continuou a atacar a baliza academista, para completo desespero do treinador Filipe Gouveia, que pedia calma e concentração aos seus pupilos.

Aos 25 minutos, Rafael Lopes tentou a sua sorte de longe, mas o remate nem chegou a assustar o guardião Iker Casillas, que controlou a trajectória do esférico apenas com o olhar.

Até ao intervalo, o FC Porto tentou aumentar a vantagem, mas as iniciativas de Yacine Brahimi, Jesus Corona e Aboubakar esbarravam sempre na defensiva da formação academista.

Na segunda metade, mais do mesmo, ou seja, FC Porto a atacar, Académica a defender, Julen Lopetegui a pedir intensidade máxima e Filipe Gouveia a pedir calma e concentração.

Aos 53 minutos, mais uma assistência de Miguel Layun (tem 7 e igualou Nico Gaitán na liderança desta classificação específica) e mais um golo de cabeça, desta vez apontado por Aboubakar.

A perder, por 2 golos de diferença, Filipe Gouveia tentou dar a volta aos acontecimentos com as entradas de Hugo Seco, Rui Pedro e Rabiola, mas pouco ou nada mudou, para desespero dos (poucos) adeptos da Académica que se deslocaram ao anfiteatro portista.

Aos 73 minutos, Jesus Corona faz “magia” ao “trocar as voltas” a Ofori e a assistir Herrera, que de calcanhar marca um golo fantástico; todos os presentes no estádio viram a maravilha e até o nevoeiro tão característico na Choupana veio até ao Dragão assistir à “obra de arte”.

Logo depois, foi-se embora e o “gás” do FC Porto também, pois Julen Lopetegui começou a pensar no Sporting e opta por tirar Rúben Neves (se visse cartão amarelo ficava de fora do jogo com os “leões”) e Yacine Brahimi.

Até ao fim, destaque apenas para o golo de Rui Pedro nos derradeiros momentos da partida; é certo que Rabiola (na altura em que faz a tabela com o seu companheiro) está em posição irregular (fora-de-jogo), mas o golo da Académica é merecido.

Com esta vitória, o FC Porto chega à liderança isolada da Liga NOS (pela primeira vez na era Lopetegui) e começa a olhar para os adversários do alto da tabela classificativa.

A última vez em que os “azuis-e-brancos” tinham estado em 1º isolados, tinha sido em 2013 na “era” Paulo Fonseca, mas depois de uma derrota, curiosamente com a Académica, a liderança passou a ser uma miragem para o FC Porto, até hoje.

Depois da vitória frente ao Belenenses, a Académica (que hoje não pôde contar com Leandro Silva e Gonçalo Paciência, estão emprestados pelo FC Porto) soma mais uma derrota e vai terminar a jornada na zona de despromoção, com mais 5 pontos que o Tondela, “lanterna vermelha” da competição.