Liga Mundial 2016: Portugal é vice-campeão do Grupo 2

Liga Mundial 2016: Portugal é vice-campeão do Grupo 2

Portugal foi medalhado com a prata, um resultado que junta, no seu historial, à vitória na Liga Europeia de 2010 e ao 8º lugar no Mundial de 2002.

123

O Canadá venceu ontem, por 3-0 (25-19, 25-22 e 25-15) a Selecção Nacional de Séniores Masculinos, conquistando o primeiro grande título do seu historial e garantindo o bilhete de ascensão ao Grupo 1 da Liga Mundial, em 2017. Portugal foi medalhado com a prata, um resultado que junta, no seu historial, à vitória na Liga Europeia de 2010 e ao 8º lugar no Mundial de 2002.

Ontem, o público voltou a comparecer, em número e entusiasmo, no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, mas a Selecção orientada por Francisco dos Santos não conseguiu corresponder aos anseios dos portugueses. O desgaste provocado pelo jogo com a Holanda, disputado anteontem à noite, minou a exibição da equipa das quinas, que teve uma hipótese de virar o jogo, no segundo set, quando comandou o marcador, mas não teve forças para suster a reacção dos canadianos.

1º Set – Começou melhor o Canadá (3-1), mas um ataque de segunda linha de Alexandre Ferreira repôs o equilíbrio (4-4). Contudo, uns momentos de desconcentração foram o bastante para a equipa de Glenn Hoag aproveitar para se distanciar um pouco (8-5). Marcel Gil reaproximou (8-7), mas mais dois erros (serviço e ataque) voltaram a deixar fugir o Canadá (11-7).

Nova tentativa de reaproximação, através de Marcel, mas o quinto serviço falhado por Portugal a não permitir ir mais além (13-9). Seria, porém, com um serviço directo (Tiago Violas) que Portugal tentaria encetar a recuperação (12-15). Nicholas Hoag não o permitiu, primeiro com um ataque e depois com dois serviços directos (19-13).

A perder por 14-22, Portugal não baixou os braços e João Oliveira e Marcel obrigaram Glenn Hoag a parar o jogo (22-17) para assim travar também a recuperação dos portugueses. O técnico canadiano consegui os seus intentos e foi com um serviço falhado pelos portugueses que viu a sua equipa vencer o set: 25-19.

2º Set – Entrada de rompante no segundo parcial (5-1), com um serviço directo de Alex Ferreira, e chegada ao primeiro tempo técnico com um serviço desperdiçado por Justin Duff (8-4). Um ataque ao primeiro toque de Miguel Rodrigues, bem ao seu jeito, manteve a distância, que seria dilatada logo na jogada seguinte (12-7).

A reacção dos homens da América do Norte possibilitou-lhes a aproximação: 10-13 e 13-15, com um bloco-triplo. Fabrício Silva (Kibinho) fixou o resultado em 16-13 por altura da segunda paragem obrigatória. O Canadá não se deixou intimidar e, no momento certo, igualou e passou para a frente do marcador (18-17). Portugal recuperou a liderança com um bloco de Marcel Gil, empolgando o público (20-19)… e o treinador canadiano parou o jogo.

Contudo, a um serviço falhado pelos portugueses, John Perrin respondeu com um ‘ás’ (21-20)… Dois ataques que Portugal não conseguiu concretizar em pontos forneceram ainda mais alento aos canadianos (23-20). Um serviço falhado e um ataque para fora deram o set ao Canadá: 25-22.

3º Set – O Canadá chegou com facilidade aos 5-2, beneficiando de dois serviços e um ataque falhados por Portugal, tendo atingido o primeiro tempo técnico com o dobro dos pontos da equipa da casa (8-4). Um serviço directo de Nicholas Hoag tornou tudo ainda mais difícil para a equipa de Francisco dos Santos. (11-5). Um bloco sólido impulsionou ainda mais o caminho vitorioso do Canadá (16-10). Era o canto do cisne para os portugueses, que, visivelmente cansados, não conseguiram ir muito mais além: 25-15.

John Perrin, com 19 pontos, foi o melhor pontuador do jogo, enquanto Alexandre Ferreira, com 11 pontos, foi o português mais concretizador.

Comentários

Alexandre Ferreira
“Ontem foi a verdadeira final para nós. Demos tudo o que tínhamos, gastámos toda a adrenalina e hoje o cansaço pesou demasiado porque o jogo com a Holanda foi muito intenso e acabou muito tarde. No segundo set, tivemos a oportunidade de virar o rumo dos acontecimentos, mas o cansaço provocou a desconcentração total e o Canadá aproveitou. Parabéns, porque jogaram bem. Para muitos dos jogadores da nossa equipa, esta foi a primeira final e acaba por ser uma recompensa pelo trabalho que temos desenvolvido nos últimos meses”.

Francisco dos Santos
“Creio que ontem jogámos tudo o que tínhamos e o cansaço não prevaleceu sobre a vontade dos jogadores. Contudo, o desgaste passou para o dia de hoje… e isso notou-se no segundo set, quando estávamos em vantagem e perdemos muitos pontos no ataque, o que não é normal na nossa equipa. Fica um sabor amargo pois, se tivéssemos jogado como contra a Holanda, poderíamos ter lutado pela vitória. Mas já erguemos a cabeça e começámos a pensar na qualificação para o Campeonato da Europa [Setembro]. Vamos trabalhar ainda mais para levar a Selecção Portuguesa ao Europeu”.

Glenn Hoag (Treinador do Canadá)
“Estou muito feliz, para mais porque este é o primeiro grande título conquistado pela Selecção do Canadá. Jogámos muito concentrados, sem cometer erros nem deixar que nada nos afastasse do objectivo de vencer esta final e estou muito orgulhoso dos jogadores, que estiveram todos muito bem. Agora, vamos apontar as nossas baterias para os Jogos Olímpicos do Rio”.

Frederic Winters (Capitão do Canadá)
“Jogámos muito bem e foi visível que os jogadores portugueses estavam muito cansados pelo jogo difícil e tardio frente à Holanda, no Sábado. Foi uma vantagem para nós, tenho de reconhecer, mas também devo salientar a forma como a nossa equipa jogou, como um todo e cometendo muito poucos erros. Agora, os nossos jogadores estão nervosos porque é hoje que é divulgada a convocatória para o Rio 2016 e todos querem ir!”