Liga Mundial 2016: Canadá vence Portugal e é líder invicto

Liga Mundial 2016: Canadá vence Portugal e é líder invicto

O Canadá venceu por 3-0 e mantém-se na liderança da classificação geral como a única equipa ainda invicta após 8 jogos disputados nesta Fase Preliminar.

119

O Canadá venceu hoje Portugal por 3-0 (25-18, 25-22 e 25-21) e mantém-se na liderança da classificação geral como a única equipa ainda invicta após 8 jogos disputados nesta Fase Preliminar da Liga Mundial, tendo garantido já um dos três lugares de acesso à Final Four.

A Selecção Nacional de Séniores Masculinos voltou a mostrar hoje bons apontamentos, embora o serviço, e em alturas cruciais, continue a funcionar como um obstáculo para o fecho dos sets. Aconteceu no segundo set, quando Portugal recuperou de uma desvantagem comprometedora e, no fim, no lugar da recompensa acabou por deixar escapar a vitória, mas a atitude que a equipa demonstrou – tal como no jogo de ontem – legitima as expectativas dos portugueses quanto à obtenção de um bom resultado na Final Four, a disputar nos dias 9 e 10 de Julho em Matosinhos.

Amanhã, a Selecção Nacional defronta Cuba, num jogo que poderá ser seguido em directo na Sport TV às 13h10 (Portugal continental).

Sob a arbitragem de Paulo Luís Beal (Brasil) e Martin Hudik (República Checa), as equipas alinharam:

Portugal
Marcel Gil, João Oliveira, Fabrício Silva (Kibinho), Miguel Tavares Rodrigues, Hugo Gaspar e André Lopes; Ivo Casas (Libero)

Canadá
Tyler Sanders, John Perrin, Rudy Verhoeff, Toontje Van Lankwelt, Daniel Vandoom e Graham Vigrass; Daniel Lewis (Libero).

Treinador Principal: Glenn Hoag, que vai apresentar o tema ‘Programa de desenvolvimento e detecção de talentos no Canadá’ no XVIII Encontro Nacional de Treinadores de Voleibol, agendado para os dias 9 e 10 de Julho.

1º Set
Início marcado por uma ligeira ascendência (3-1, 5-2) do Canadá, que atingiu em vantagem o primeiro tempo técnico mercê, sobretudo, da superioridade evidenciada nas acções ofensivas: 8-6, com um ataque do central Daniel Vandoorn. Dois pontos no ataque ganhos por Hugo Gaspar deram a Portugal vantagem pela primeira vez (13-12).

Contudo, duas desatenções dos portugueses obrigaram Francisco dos Santos a parar o jogo (13-15); um bloco de Daniel Vandoorn (207 cm de altura) piorou ainda mais a situação e o treinador português voltou a conferenciar com os seus jogadores. A tendência do jogo não sofreu alterações visíveis e, embora Portugal tenha recuperado terreno com três pontos de João Oliveira no ataque (17-20), o Canadá acabou por vencer o parcial com naturalidade: 25-18.

2º Set
Portugal conseguiu equilibrar nos momentos iniciais (5-5), mas o ataque dos norte-americanos continuava a fazer mossas na defesa portuguesa e cedo a equipa orientada por Glenn Hoag se demarcou (8-6, 8-12), obrigando Chico dos Santos a chamar os seus pupilos, que, à entrada para o segundo terço do set, perdiam por 9-15.

Um serviço directo de João Oliveira e um bloco de Marcel Gil fizeram Portugal recuperar algum terreno e Hoag, vendo o perigo, pediu tempo para parar o jogo (13-17). Novo bloco de Marcel deu ainda mais alento às hostes lusitanas. Com um excelente passe de costas, Tiago Violas serviu Marco para este fazer mais um ponto (15-17). E foi no seguimento de um passe em manchete que Marco colou Portugal ao Canadá (17-18), consolidando uma recuperação que já não parecia possível tendo em conta o poderio dos canadianos.

Um bloco de Kibinho fez voltar tudo à estaca zero (18-18). Foi Perrin, o melhor pontuador até ao momento (9 pontos), quem parou Portugal (19-18). Um presumível erro da arbitragem colocou o resultado favorável ao Canadá (20-21). De raiva, os portugueses igualaram por Gaspar, mas um serviço e um ataque falhados colocaram o Canadá a um ponto do fecho (21-24). O triunfo teria a chancela de Graham Vigrass: 25-22.

3º Set
Com o seu 9º ponto pessoal, João Oliveira colocou Portugal na liderança do marcador (3-2), mas três serviços consecutivos falhados impediram a equipa das quinas de se distanciar e o Canadá tomou de assalto a liderança (6-5). Dois pontos do jovem Filip Cveticanin, no ataque e no serviço, permitiram que Portugal chegasse em vantagem ao primeiro tempo técnico (8-7).

Um ponto perdido por falta de atenção desorientou os portugueses e o adversário não perdoou e pressionou (11-8, 16-12). Um erro no ataque ainda complicou mais as coisas, mas Portugal não baixou os braços e, aproveitando um bloco de Kibinho e um ataque falhado por Perrin, serviu forte por André Lopes para João Oliveira finalizar com um penalty (18-20), obrigando Hoag a parar o jogo e a mexer na equipa, fazendo entrar o possante Winters, que fez logo o 22-19.

Um bloco de Cvet manteria Portugal na luta (21-23)… se tivesse sido considerado válido, mas o árbitro rectificou a decisão e deu ponto ao Canadá, que assim ficou a um mero passo do fecho (24-20), acabando por vencer com um serviço falhado pelos portugueses: 25-21.

João Oliveira e John Perrin, ambos com 14 pontos, foram os melhores pontuadores do jogo, logo seguidos por Marco Ferreira e Rudy Verhoeff, com 12.

Declarações de Francisco dos Santos e de Alexandre Ferreira de João Oliveira