Liga Europeia 2017: Portuguesas vencem suecas e já pensam em Matosinhos

Liga Europeia 2017: Portuguesas vencem suecas e já pensam em Matosinhos

A Selecção Nacional de Séniores Femininos venceu hoje a Suécia em Valladolid, na última jornada do 1º torneio da Poule C da Liga Europeia 2017, que tem o 2º torneio agendado para o Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, nos dias 16, 17 e 18 de Junho

65

A Selecção Nacional de Séniores Femininos venceu hoje a Suécia por 3-1 (25-16, 19-25, 25-21 e 25-23), em Valladolid, na última jornada do 1º torneio da Poule C da Liga Europeia 2017, que tem o 2º torneio agendado para o Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, nos dias 16, 17 e 18 de Junho.

A verdade é que Portugal poderia ter superado as nórdicas pela margem máxima, mas o set perdido fica a dever-se quase exclusivamente à incapacidade de criar obstáculos ao poder ofensivo (ataque e bloco) da excelente oposta sueca Isabelle Haak, a jogadora mais alta (1,95) e poderosa em campo… e também uma das mais novas, com apenas 18 anos, a quem se traça já um futuro auspicioso, muito provavelmente em Itália.

O jogo iniciou-se novamente com temperaturas a rondar os 35 graus centígrados, fora, e 32º dentro do pavilhão. Actuando sem grande rapidez mas com eficácia no ataque e aproveitando a falta de pontaria do serviço contrário, Portugal chegou aos 4 pontos de vantagem através de um serviço directo de Juliana Rosas (8-4).

Na segunda paragem obrigatória, a diferença era já de seis pontos (16-10), culminada com um serviço directo de Aline Rodrigues, que pouco antes tinha feito um bloco à sueca Isabelle Haak. E seria a central lusa a fixar o resultado do primeiro parcial ao responder eficazmente à ‘curta’ solitada por Vanessa Rodrigues: 25-16.

No segundo set, Portugal voltou a começar melhor (8-5), mas as nórdicas conseguiram equilibrar, passar para a liderança no marcador, mercê de algum desacerto luso no ataque e uma maior eficácia do seu bloco, e ganhar uma pequena vantagem (13-11) com um serviço directo de Isabelle Haak. Portugal igualou com um ‘ás’ de Vanessa Rodrigues (16-16), mas eram Haak e Stina Rix quem mandava nas alturas, no ataque e no bloco (21-16), pelo que não tardou até as nórdicas selarem o triunfo: 25-19.

A lição foi digerida e no início do terceiro set a Selecção Nacional não permitiu veleidades à sua adversária, tendo chegado aos 13-6 com pontos de Neusa Neto (bloco) e Julia Kavalenka (ataque). A reacção das suecas foi produtiva, transformando um 11-18 num perigoso 16-18… Pior: um amorti de Diana Lundvall colocou as nórdicas apenas a um ponto (18-19).

Um serviço directo de Eliana Durão (21-18) forneceu a Portugal o balão de oxigénio para suportar tanta pressão (e calor). Sempre bem municiadas por Vanessa Rodrigues, Marta Hurst e Julia Kavalenka trataram de selar (finalmente) o resultado: 25-21.

Dois pontos de Neusa Neto distanciaram Portugal (11-8) e um serviço da central lusitana manteve a vantagem (13-10). A oposta Kavalenka e a central Aline Timm Rodrigues dilataram a diferença (16-11). Contudo, Portugal acomodou-se um pouco e as nórdicas lançaram uma ofensiva, premiada com a recuperação, consubstanciada num bloco de Stina Rix (17-19).

A Suécia igualou com pontos de Isabelle Haak e da distribuidora Fanny Andersson (21-21), mas Portugal voltou a chegar-se à frente com um ataque de Juliana Rosas (23-22). E o desfecho do parcial e do jogo não podia ter sido melhor, com um bloco de Marta Hurst a Isabelle Haak: 25-23.

Isabelle Haak foi a melhor pontuadora, com 25 pontos, seguida de Julia Kavalenka, com 14.

O 2º torneio da Poule C está agendado para o Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos. No dia 16, Portugal defronta a Suécia (19h00), no dia 17 a Eslováquia (18h00) e no dia 18 a Espanha (18h00).

* Poule A [org. Albânia e Bielorrússia]: Bielorrússia, Finlândia, Áustria e Albânia.
* Poule B [org. Geórgia e França]: França, Ucrânia, Montenegro e Geórgia.
* Poule C [org. Espanha e Portugal]: Eslováquia, Espanha, Portugal e Suécia.

Apuram-se para a Final Four os 1ºs classificados de cada poule, que se juntarão ao país organizador. Se este último for o 1º classificado numa das poules, apurar-se-á o 2º melhor classificado de todas as poules.